Editorial: O “regresso” do Estado

Jornal OPaís edição 1732 de 30/01/2020

Não está publicamente anunciada a estratégia, mas há leituras a fazer, consoante o entendimento de cada um. Seja como for, com a compra da participação da oi na UNlTEL pela Sonangol, a estatal passou a ser a sócia maioritária, a poder ditar as regras e através dela o Estado. o mesmo Estado que, por via do Governo, tem anunciado a intenção de liberalizar mais a economia abrindo alas à participação privada. ontem, com a unitel na condição de sócia maioritária, o Banco de Fomento Angola elegeu os seus corpos sociais e Rui Mangueira, antigo ministro e antigo embaixador, passa a presidir o conselho de Administração. Estes dois movimentos em empresas de grande importância reposicionam o Estado nestas estruturas, alimentando a expectativa sobre o que virá a seguir, sustentada pelo programa de privatizações, ou sobre quem virá a seguir.

error: Content is protected !!