Coronavírus: MINSA rastreia 180 cidadãos

Cento e 80 cidadãos que mantiveram contacto directo com o paciente chinês, internado em Luanda por suspeita de contrair coronavírus, estão a ser monitorados e acompanhados diariamente pelas autoridades sanitárias angolanas, para despiste da doença

Segundo o inspector-geral do Ministério da Saúde (Minsa), Miguel de Oliveira, que avançou essa informação ontem Sexta-feira, os rastreados são colegas do paciente num estaleiro chinês. Falando em conferência de imprensa, explicou que no estaleiro estão pelo menos dois mil funcionários, mas apenas o número acima foi necessário para essa avaliação.“Durante os dois últimos dias temos estado a abordar todos os cidadãos que mantiveram contacto com o paciente internado, fazendo o devido rastreio e avaliação, mas, felizmente, até ao actual momento não se registou nenhum sinal nas pessoas envolvidas”, referiu.

O período de incubação da doença vai de dois a 14 dias, mas mesmo neste tempo pode-se transmitir o vírus. Por essa razão, Manuel de Oliveira disse que o Ministério da Saúde vai continuar o trabalho de campo, denominado “busca activa”. Quanto ao quadro clínico do paciente suspeito internado na clínica Girassol, disse que nas últimas 24 horas os resultados continuaram satisfatórios e o mesmo mantém- se calmo, consciente, colaborante e sem febres. Não se registou, no seu quadro, qualquer alteração hepática e renal, sendo a evolução visivelmente positiva.

O inspector-geral do Minsa avançou, por outro lado, que foi feito nas últimas 24 horas um rastreio na entrada do Aeroporto Internacional “4 de Fevereiro”, em passageiros (angolanos e estrangeiros), sem quaisquer identificação de casos suspeitos. Segundo o responsável, houve rumores de que havia mais três chineses, sendo dois numa loja no Kilamba e um no 1º de Maio, eventualmente acometidos com o coronavírus, mas assegurou que estes pacientes foram atendidos e não apresentam sinais da doença. Os mesmos foram diagnosticados com malária. Reforçou a necessidade do cumprimento das recomendações de prevenção: utilização de álcool em gel, sabão azul comum, máscaras da boca e papel de toalha, com particular destaque para a lavagem das mãos cujo tempo não pode ser inferior a 30 segundos.

Aconselhou todos os cidadãos com sinal de tosse, febre e dificuldade respiratória para se dirigirem a um hospital, a fim de serem avalios ou eventual internamento. Dados actualizados dão conta de que um total de 12 mil e 167 casos suspeitos e 7 mil e 818 confirmados de coronavírus já foram registados no mundo. Na China, epicentro do vírus, os casos confirmados estão em torno de 7 mil e 736, em estágio grave 170 e fora deste país há um total de 82 casos confirmados, em 18 países. A OMS declarou, Quinta-feira, a epidemia como emergência mundial de saúde pública, devido a implicância de todos os países. Por isso, mesmo aqueles que não têm casos suspeitos ou confirmados devem adoptar as necessárias medidas de prevenção e de protecção.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!