Mais de 200 escolas encerradas por falta de professores no Lubango

Cerca de 208 escolas do ensino primário, primeiro e segundo ciclos do ensino secundário estão encerradas por falta de professores, sendo que quatro delas encontram-se na comuna da Quilemba, município do Lubango, província da Huila

João Katombela, na Huíla

A informação foi avançada na última Sexta-feira pelo chefe da Repartição Municipal da Educação, Pedro Tchisingue, na cerimónia de abertura do ano lectivo 2020, decorrida numa das escolas da comuna da Quilemba. O gestor público fez saber que grande parte das escolas encerradas encontra-se em todas as comunas que compõem o município do Lubango. O responsável da educação revelou que o problema deve-se ao facto de não haver condições de habitabilidade nas escolas mais recônditas da capital da província.

“São escolas que ficam em zonas muito distantes. Precisamos de professores que fiquem mesmo lá. Também é importante realçar que nestas localidades, às vezes temos escolas, mas não temos infra-estruturas para acolher o professor”, frisou. Acrescentou de seguida que “é importante que o governo construa escolas, construa também residências para professores, a fim de permitir que o professor permaneçam lá durante a semana”. Para o chefe da Repartição Municipal da Educação do Lubango, a solução deste problema passa pela contratação de mais professores, apesar de já terem sido realizados em todo o país dois concursos nos últimos dois anos.

Segundo Pedro Tchissingue, no concurso público de admissão no sector da Educação, o seu recebeu apenas 27 vagas para o ensino primário, primeiro e segundo ciclos do ensino secundário. Ainda assim, existem na comuna-sede do município do Lubango, 129 turmas a funcionar debaixo de árvores, o que, em seu entender, tem prejudicado o processo de ensino e aprendizagem. Para se ultrapassar a lacuna, Pedro Tchissingue disse que as comissões de pais e encarregados de educação têm jogado um papel importante, pois, com a gestão das comparticipações tem sido construídas algumas salas de aulas.

Lubango precisa de cerca de mil professores Para o presente ano lectivo, cuja abertura provincial decorreu na comuna da Quilemba, na última Sexta-feira, estão matriculados um total de 260 mil alunos no ensino geral. Pedro Tchissingue informou que para colmatar o problema da falta de professores, o município do Lubango necessita de pelo menos mil docentes ainda este ano. “A solução deste problema passa pela contratação de mais professores, no último concurso, o Lubango recebeu apenas 27 professores. Este número é irrisório. Precisamos de pelo menos mil professores para distribuir nas cinco comunas do município”, afirmou.

error: Content is protected !!