Governo garante acompanhamento permanente na execução do Plano de Empregabilidade

O plano de iniciativa presidencial está a merecer uma atenção permanente do Executivo que, frequentemente, mantém contacto com as equipas que estão a desenvolver as acções em todo o país, para garantir que os objetivos das políticas públicas, no âmbito do combate ao desemprego, venham a ser alcançados

O ministro da Administração Publica, Trabalho e Segurança Social, Jesus Maiato, garantiu ontem, em Luanda, que o Governo vai continuar a fazer um acompanhamento permanente e rigoroso dos projectos adstritos ao Plano de Acção de Promoção da Empregabilidade (PAPE)para garantir que os objetivos das políticas públicas sejam alcançados. O ministro Jesus Maiato assegura que a execução do plano está a permitir a inserção de centenas de cidadão no mercado de trabalho mediante a prestação de serviços que são uteis à sociedade.

Desde que foi lançado, o plano já beneficiou centenas de cidadãos e, actualmente, conta com cerca de outras cinco mil candidaturas de pessoas que já se inscreveram para beneficiarem de microcréditos e ferramentas de trabalho que lhes vai possibilitar desenvolver actividades rentáveis e diminuir as dificuldades sociais. O ministro do Trabalho explicou que, desde que foi lançado o referido plano, já foram realizadas perto de 3 mil visitas aos beneficiários do programa para se constatar o grau de implementação das acções em curso.

Essas visitas, explicou, foram feitas nos mais variados projectos de iniciativa privada apoiadas pelo PAPE, ligadas às mais diversas áreas desde a agropecuária, prestação de serviços, comércio e noutros segmentos de actividade úteis ao dia-a-dia do cidadão. “Não estamos apenas a entregar os kits de trabalho. Estamos também interessados em saber como as acções estão ser implecentementadas e a dinâmica que está a ser empolgada de forma a reduzir de facto o desemprego. É um acompanhamento rigoroso, porque a orientação é que o plano tenha, de facto, sucesso e assume-se como um instrumento de redução das assimetrias e das necessidades”, frisou.

250 mil empregos em três anos

De acordo ainda com Jesus Faria Maiato, o referido plano, orçado em 21 mil milhões de Kwanzas, prevê criar, em todo o país, cerca de 250 mil empregos nas mais diversas especialidades. Para o governante, o alcance desta meta só será possível caso os beneficiários e as equipas trabalhem de forma coordenada, disciplinada e em perfeita sincronização. Por esse motivo, frisou, é que o acompanhamento directo e permanente de todas as acções vai ser feita de forma rigorosa e continua. “É entendimento do Executivo fazer do PAPE um programa que visa reduzir a taxa de desemprego, combater a pobreza, a vulnerabilidade e fazer crescer a economia nacional. Para o efeito, precisamos todos estar motivados e comprometidos, daí a necessidade do nosso acompanhamento”, assegurou.

Formação continua

Por outro lado, Jesus Maiato disse ainda que umas das componentes do programa é apostar na formação e superação técnica e contínua dos beneficiários, para permitir que estes tenham melhor manuseamento dos equipamentos e gestão das actividades que desenvolvem. Segundo o ministro, a nível dos centros públicos de formação profissional estão a ser desenvolvidos programas de formação que estão a mudar o modo como beneficiários vão utilizar os programas do Estado para o benefício comum. “A aposta na formação é contínua. É preocupação do Estado apostar na superação permanente dos beneficiários para permitir uma melhor racionalização dos equipamentos e dos microcréditos”, finalizou.

error: Content is protected !!