Luís Cazengue: “Precisamos de vários departamentos ministeriais para contornarmos a ravina”

O director do Estádio 11 de Novembro, Luís Cazengue “Luizinho”, disse, ontem, a O PAÍS que a ravina que “engoliu” o muro de vedação da zona Norte do Estádio, que dá acesso ao bairro Rei Mandume é um problema transversal.

Luís Cazengue explicou que a mesma ravina não poupou o tapete asfáltico que divide a nova catedral do futebol angolano e o bairro supracitado, pois há uma questão por resolver que poderá envolver vários organismos como a administração de Talatona, INEA, Ministério da Construção e o estádio. “O estádio não tem condições de fazer o entulho do local crítico, colocar parte da estrada e o asfalto, precisamos de vários departamentos ministeriais para contornar o problema (ravina) ”, apontou.

Na verdade, o antigo jogador da Selecção Nacional admitiu que a ravina afecta o estádio, mas não é só o maior palco do futebol angolano também a estrada terciária do bairro Rei Madume. Por esta razão, Luís Cazengue reiterou que é um problema onde vários departamentos ministeriais devem estar engajados para que seja possível uma intervenção urgente.

leave a reply