Novo monopólio artesanal de cobalto do Congo pode procurar parceiro privado

uma nova empresa estatal criada pela república Democrática do Congo para gerir a exploração artesanal do cobalto do país poderia procurar um parceiro privado se o Estado não tiver recursos para comprar toda a produção, disse o ministro das

A RDC produz cerca de 60% do cobalto do mundo. A maior parte é extraída por operadores industriais como Glencore e China Molybdenum, com as mineradoras artesanais a responder por cerca de um quarto da produção. Na Sexta-feira, a RDC concedeu à nova empresa o monopólio para comprar e comercializar todo o cobalto que não é minerado industrialmente, num esforço para exercer maior influência sobre os preços.

“O mais fácil para nós é ser financiado pelo Estado congolês”, disse o ministro de Minas Willy Kitobo Samsoni à Reuters à margem da conferência de investimentos em Mineração Indaba na Cidade do Cabo. “Mas se o Estado não poder arrecadar fundos para comprar todo o cobalto extraído artesanalmente, então o Estado terá que entrar em parceria com uma empresa.” “Temos planos de conversas com financiadores aqui”, acrescentou Samsoni. A nova empresa, Empresa Geral do Cobalto (EGC), seria administrada de forma independente pela empresa estatal de mineração Gecamines, disse Samsoni.

error: Content is protected !!