Angola espera que estabilidade política em Espanha permita “retomar cooperação”

A estabilidade política espanhola” vai permitir retomar uma série de programas de cooperação que foram nos últimos dois anos afectados pela indefinição política”, disse o ministro Manuel Augusto

O governo angolano considerou ontem Terça-feira que a manutenção da situação política em Espanha permite retomar os “programas de cooperação condicionados, há dois anos, pela indefinição política”. “Estamos, também, satisfeitos com a estabilidade política em Espanha, com o novo governo, que nos vai permitir retomar uma série de programas de cooperação que foram nos últimos dois anos afectados pela indefinição política naquele país parceiro de Angola”, afirmou o ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Augusto.

Segundo o governante, que falava aos jornalistas à margem da inauguração do Instituto Politécnico das Pescas — CEFOPESCAS — , orçado em 98 milhões de dólares financiados por Espanha, Angola está a “recuperar credibilidade” junto dos seus parceiros. Manuel Augusto recordou que Espanha tem uma indústria desenvolvida em vários sectores e que Angola tinha uma série de projectos previstos com o país europeu, que “deverão ser retomados” no âmbito das novas abordagens políticas em ambos os países. “E acreditamos que estamos em condições agora, nesta combinação, recuperação da credibilidade que Angola tem e a estabilidade política que a Espanha tem, vai com certeza permitir que os operadores económicos dos dois países possam executar os projectos”, assegurou.

Em relação ao CEFOPESCAS, inaugurado pelo Presidente João Lourenço, o ministro das Relações Exteriores enalteceu o financiamento de Espanha, afirmando que a acção demonstra que Espanha “quer continuar a ser parceiro número um” de Angola no domínio das pescas. E acrescentou: “Tudo que temos como base do sector das pescas estruturado está ligado à Espanha e aqui está a prova de que a Espanha quer continuar a ser este parceiro”. Com capacidade para albergar 1.836 alunos, o CEFOPESCAS vai ministrar aulas do ensino médio da 7ª a 13ª classe para os cursos médios de Mestre Costeiro-Pescador, Técnico de Máquinas e Motores Navais, Técnico de Máquinas e Instalações Navais, Técnico de Aquicultura, Técnico de Tecnologia de Pescado, Técnico de Biologia Marinha e Técnico de Recursos Pesqueiros. Além do montante para a construção da instituição, localizada no município de Belas, sul de Luanda, Espanha também contribuiu na graduação de 19 quadros angolanos para o setor das pescas.

error: Content is protected !!