Cerca de sete milhões de livros do ensino primário começam a ser distribuídos hoje

Os livros estão a ser depositados nos armazéns da Cimianto e de seguida distribuídos nas repartições municípios, tendo estas a obrigação de fazer chegar às escolas a fim de ser distribuidas aos alunos da iniciação até a 6ª classe

Cerca de sete milhões de livros do ensino primário, da iniciação até à 6ª classe, começam a ser distribuídos hoje nas escolas de Luanda, entretanto, a prioridade recai para os municípios de difícil acesso, sobretudo os que não foram contemplados no ano passado, garante o director do gabinete provincial da Educação, Narciso Benedito. Explicou que os manuais não são para serem armazenados nas repartições municipais, mas sim para distribuírem às escolas e estas, consequentemente, deverão fazer chegar aos alunos que não têm livros por várias razões, tais como climáticas, difícil acesso, entre outras. Ainda esta semana deve chegar nove camiões de livros, que farão um total de 39 títulos, sendo que até ontem já tinham chegado a Luanda quatro títulos, entre os quais fichas da iniciação 1 e 2, matemática da primeira e da terceira classe.

O director da Educação disse que as escolas foram orientadas a recolher livros no final do ano lectivo e os mesmos serão entregues aos outros alunos em 2021, apesar de que nem todos estudantes devolveram os manuais no ano transacto por diversas razões. Por este facto, não se consegue recuperar o mesmo número de livros entregues e, ainda assim, as escolas deverão entregar o material ao aluno. Narciso Benedito esclareceu que por conta de diversas situações nem todas as escolas conseguiram organizar as listas e fixar em tempo oportuno de modo que os alunos pudessem saber o horário e as respectivas salas. Por essa razão, hoje decorrerão em simultâneo várias operações, designadamente, de regresso às aulas, consultas das listas e início de distribuição dos livros.

Por outro lado, o director do Gabinete Provincial da Educação de Luanda apela aos pais e encarregados de educação a levarem os seus educandos à escola hoje, tendo em conta o arranque do ano lectivo. Garantiu que os professores não vão faltar no primeiro dia de aula, porque se comprometeram no acto da abertura do ano lectivo a comparecerem nas escolas. “Por forma a inverter o quadro de não cumprimento das orientações, os profissionais da Educação realizaram várias reuniões, onde se comprometeram em estar presente no dia 5 para o arranque das aulas, reforçando no acto de abertura”.

error: Content is protected !!