“Kwata Kanawa” evoca por mais dignidade aos antigos combatentes

No acto provincial alusivo ao 4 de Fevereiro, dia do Início da Luta Armada de Libertação Nacional, que teve lugar no município de Kirima, o governador da província de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” manifestou a necessidade de o Governo dar passos decisivos para resolver os problemas dos antigos combatentes, por tudo quanto fizeram para o alcance da independência nacional

Miguel José, em Malanje

A existência de um número elevado de falsos pensionistas impede que a autoridade governamental dê melhores condições de vida àqueles que são verdadeiramente antigos combatentes, segundo “Kwata Kanawa” durante o acto de massas realizado na sede municipal de Kirima. Citando com base ao processo de recadastramento, em curso, na província de Malanje onde foram excluídos do sistema mil “fantasmas”, o governador fundamentou que muitos das tais pessoas que usufruem de pensões são oportunistas e jamais fizeram parte das fileiras dos combatentes da liberdade.

“Isto não é possível”, denegou o dirigente, por considerar que os mais de 200 mil pensionistas que constam do cadastramento actual são incomensuráveis ao contexto de luta de libertação nacional, de 1961 à 1975, porquanto, os combatentes que estavam incorporados nos três movimentos de libertação nacional, eram inferiores à quantidade de indivíduos que hoje estão registados no Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria. “Nós temos casos de pessoas que nasceram em 1977 e dizem que são antigos combatentes”, delatou.

Necessidade de recadastramento

Todavia, fora todos os constrangimentos endógenos e exógenos, o governante da terra da Palanca Negra Gigante recalcou a necessidade de o Governo ir a fundo da questão e procurar resolvê-la, no sentido de repor a verdade e dar a devida dignidade quem, de facto, merece o título de antigo combatente. Exaltou que cada um à sua medida tem o seu lugar na sociedade e, desde logo, àqueles que depois de 1975 lutaram para a defesa da independência têm também o seu enquadramento como veteranos da pátria. Reprovou a atitude dos indivíduos que recebem pensões em vários organismos do Estado, em benefício próprio.

Porém, instou a necessidade do departamento estatal que superintende os antigos combatentes, para proceder ao recadastramento dos antigos guerrilheiros, visando esclarecer a veracidade dos registados e, assim, garantir uma pensão condigna aos heróis da pátria. “Temos de ter a coragem de tirar aqueles que estão cadastrados como antigos combatentes e não o são”, concluiu o governador “Kwata Kanawa”.

error: Content is protected !!