PR augura reforço da cooperação com a Alemanha

O Presidente da República, João Lourenço, manifestou ontem, em Luanda, o interesse de Angola em aprofundar a cooperação com as instituições financeiras alemãs, com vista a assegurar financiamento para o desenvolvimento de vários sectores da economia angolana

No seu discurso por ocasião da visita ao país da Chanceler Alemã, Angela Merkel, o Presidente destacou a necessidade de financiamentos para o desenvolvimento dos sectores do gás, da energia e águas, bem como de infra- estruturas rodoviárias, ferroviárias e portuárias, no regime de parcerias públicas-privadas. Em relação às infra-estruturas, falou das concessões para a exploração e gestão dos principais caminhos-de-ferros – com destaque para o de Benguela – e portos existentes, com vista a rentabilizar o tráfico internacional de mineiros e outras mercadorias e de passageiros dos países encravados. Para João Lourenço, a exploração destas infra-estruturas constitui um grande desafio para os grandes investidores alemãs do ramo dos transportes.

Manifestou o interesse do Executivo angolano em estabelecer com a Alemanha programas de assistência na formação e capacitação de quadros de investigação e cooperação científica, nos sectores de agricultura e florestas, das pescas, da educação e formação profissional e da saúde. Na visão do Estadista angolano, o intercâmbio Angola-Alemanha, ao mais alto nível, constitui uma demonstração do grande dinamismo que caracteriza as relações entre ambos os países. Trata-se igualmente da demonstração do interesse recíproco dos dois Estados em realizarem, com pragmatísmo, quer ao nível institucional, como empresarial, acções diversas que vão contribuir para a intensificação das relações económicas e empresariais e outras, segundo o Presidente. O Titular do Poder Executivo realçou que, no domínio da cooperação financeira, a Alemanha tem revelado uma abertura que corresponde às expectativas angolanas em matéria de projectos de desenvolvimento.

Neste âmbito, destacou a disponibilização de financiamento no valor de 1,06 mil milhões de dólares americanos destinados à aquisição de equipamentos electromecânicos de fabrico alemão, para apetrechar, em turbinas, a central hidroeléctrica de Caculo Cabaça, em construção na província do Cuanza-Norte. Exprimiu ainda o desejo de ver as empresas alemãs envolvidas na construção de outras centrais hidroeléctricas de grande porte, como o empreendimento bi-nacional de Baynes, no Rio Cunene, para servir Angola e a Namíbia, e também na produção de energia solar em zonas mais remotas do país. Sublinhou igualmente o interesse em contar com o apoio da Alemanha na expansão e modernização da rede eléctrica das cidades de Moçamedes e Tombwa (província do Namibe), assim como a interligação entre ambas.

O Presidente almeja também o envolvimento da Alemanha no desenvolvimento do sector agrícola angolano, sublinhando, a propósito, a importância que assume para a agropecuária angolana a cooperação bilateral na perspectiva da construção de uma unidade de produção de vacinas e de um laboratório de pesquisa animal em Angola. Esta é segunda visita de Angela Merkel a Angola. A primeira aconteceu em 2011, ocasião em que foi acordada uma parceria alargada entre os dois Estados. Por seu turno, o Presidente João Lourenço visitou a Alemanha em Agosto de 2018. Em Setembro do ano passado, o estadista angolano voltou a encontrar-se com a Chanceler alemã em Nova Iorque. A parceria entre Angola e Alemanha, iniciada em 1979, ganhou um novo impulso com a realização da I Sessão da Comissão Bilateral, em 2012, em Berlim, tendo Angola se tornado, nos últimos anos, no terceiro parceiro comercial deste país da Europa Ocidental na África subsahariana.

Alemanha financia hidro-eléctrica de Caculo Cabaça

O Governo da Alemanha disponibilizou um crédito avaliado em 1,06 mil milhões de euros para financiar as obras de construção da barragem hidroeléctrica de Caculo Cabaça, situada na província do Cuanza-Norte. Um acordo para o efeito foi assinado em Luanda, pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges e pelo Presidente do Conselho de Administração da Voith, em Angola, Toralf Haag, no âmbito do Fórum Económico Angola/Alemanha. O financiamento vai servir para a aquisição de turbinas, comportas, alternadores e outros equipamentos electromecânico e hidromecânico para a barragem. A companhia alemã Voith vai fornecer os equipamentos hidromecânicos, electromecânicos e turbinas. Além de fornecer os equipamentos de Caculo Cabaça, a Voith vai construir também a mini-hídrica do município do Cuemba, província do Bié, e oferecer um centro de formação de técnicos de operação e manutenção de hidroeléctrica, na província do Cuanza-Norte.

Siemens constrói Metro de Superfície de Luanda

A Siemens Mobility é a empresa alemã escolhida para construir, a partir deste este ano, o “Metro de Superfície de Luanda”, no âmbito de uma parceria público-privada. O director executivo da empresa, Michael Peter, e o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo de Abreu, assinaram na Ssextafeira, no Fórum Económico Angola/ Alemanha, em Luanda, um memorando de entendimento que certifica a parceria, O custo do Metro de Superfície de Luanda está avaliado em três mil milhões de dólares norte-americanos e, segundo o ministro Ricardo de Abreu, na parceira, Angola terá uma participação minoritária, que ronda os 30 por cento, cabendo a outra parte (70%) aos agentes privados interessados em participar. O ministro disse que uma vez assinado o acordo, começa o trabalho nas diferentes etapas do projecto, quer do ponto de vista nacional quer internacional, pois a pretensão é que o projecto arranque o mais rápido possível, este ano, para facilitar a vida dos cidadãos.

Quanto às linhas de crédito, Ricardo de Abreu sublinhou que estão bem definidas, a nível macro, e que a primeira fase já está bastante desenvolvida. O que se precisa, afirmou o responsável, é um trabalho no terreno para observar as condições e quantificar o que é necessário Angola fazer do ponto de vista de requalificação urbana, de engenharia e de construção civil. A linha do Metro de Superfície, que consta nas prioridades do Executivo angolano, vai ter uma extensão de 149 quilómetros. Vai cobrir os eixos principais de Luanda, isto é, do Porto de Luanda a Cacuaco, Avenida Fidel Castro Ruz-Benfica, Porto de Luanda- Largo da Independência e Cidade do Kilamba-1º de Maio. Além do Metro de Superfície o Plano Director de Luanda, já aprovado pelo Executivo, prevê também dois sistemas de metro de superfície, designadamente o Bus Rapid Transit (BRT) e o Veículo Rápido sobre Trilhos (carris), abreviadamente VLT. O primeiro é utilizado para sistemas de transporte urbano com autocarros, que são alvo de consideráveis melhorias na infra-estrutura, nos veículos e nas medidas operacionais que resultam em qualidade de serviço mais atractiva.

Além do acordo sobre o Metro de Superfície de Luanda, Angola assinou mais quatro memorandos com a Alemanha, testemunhados pelo Presidente João Lourenço e pela Chanceler Angela Merkel. Um para a instalação de um centro de formação da empresa Voith em Angola, assinado pelo Presidente do Conselho de Administração, Toralf Haag, e pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, e outro para a cooperação na área de energia hidroeléctrica, assinado por Carlos Alberto Alves, da empresa Omatapalo – Engenharia e Construção, e Peter Magauer, da “Andritz”. De igual modo, foram rubricados acordos para a “reabilitação da estrada nacional EN 140 e 295” entre a Gauff GmgH (Alemanha) e o Instituto Nacional de Estradas Planeamento e Estatísticas (Angola), assim como para a criação de um “Cash Center” entre o Banco Nacional de Angola (BNA) e a Gieseck Devrient GmbH. O Fórum Económico Angola/ Alemanha juntou 10 empresas alemãs, empresários angolanos e gestores públicos.

João Lourenço reúne-se com empresários alemães

O Presidente da República, João Lourenço, reuniu-se na tarde desta Sexta-feira, em Luanda, com mais de uma dezena de empresários alemães. Os empresários, que integram a delegação da Chanceler Angela Merkel, que visita o país à convite do Chefe de Estado angolano, não prestaram declarações à imprensa. Os homens de negócios, em representação de empresas ligadas aos sectores de electrónica, telefonia, engenharia mecânica, fornecimento de equipamentos de energia solar e outros, participaram no fórum empresarial Angola-Alemanha. O Fórum Económico Angola- Alemanha, que juntou mais de 180 empresários nacionais e estrangeiros, foi co-presidido pelo Presidente João Lourenço e pela Chanceler Angela Merkel. Angola e a Alemanha assinaram nesta Sexta-feira quatro acordos de cooperação nos domínios dos serviços de transportes aéreos e formação técnico-profissional. No mesmo dia, o Chefe de Estado angolano e a Chanceler alemã reafirmaram o interesse de aprofundar a cooperação económica entre os dois Estados.

error: Content is protected !!