CPA com participação ameaçada nos Jogos de Tóquio 2020

Para participar nos Jogos de Tóquio 2020 em Setembro, no Japão, o Comité Paralímpico Angolano (CPA) necessita de 150 milhões de Kwanzas. De acordo com o secretário-geral do CPA, em conferência de imprensa, o valor será para custear as despesas de preparação iniciadas em Janeiro passado nas provas qualificativas, compra de material desportivo, bilhetes de passagem, bem como estágio fora de portas.

Em Luanda, o resposável esclareceu que ainda não recebeu qualquer valor das entidades competentes. Isto põe em risco a preparação e a participação no Meeting de atletismo em São Paulo, no Brasil, em Março próximo. Em solo brasileiro, Angola terá a última oportunidade para obter os mínimos exigidos pelo Comité Paralímpico Internacional.

António da Luz fez saber ainda que em 2019 o CPA fez chegar ao Ministério da Juventude e Desportos o caderno de encargos para a participação de Angola na competição em solo japonês. Atletismo, judo e taekwandó, estas duas últimas serão as modalidades estreiantes nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Por sua vez, o halterofilismo não inscreverá o seu nome na prova por por ter falhado o Campeonato do Mundo e qualificativo que decorreu na Nigéria.

error: Content is protected !!