Navios de cruzeiro reforçam medidas contra o surto de coronavírus

A partir desta semana, segundo a Efe, os membros da Clia reforçam os seus protocolos de segurança em relação a passageiros e tripulantes que recentemente viajaram para a China, incluindo Hong Kong e Macau, explicou a associação em comunicado. Os navios de cruzeiro devem recusar o embarque a qualquer pessoa que tenha viajado à China ou transitado pelo país através do aeroporto durante os 14 dias anteriores. Igualmente, vetar o embarque a qualquer pessoa que, no mesmo período, tenha tido contacto próximo ou ajudado qualquer pessoa suspeita de sofrer, diagnosticada ou sujeita a vigilância sanitária por possível exposição ao coronavírus.

Segundo o comunicado, os passageiros devem realizar os testes pré-embarque e qualquer pessoa que apresente sintomas terá que passar pelos exames médicos relevantes e receber assistência médica inicial. A associação destacou que a indústria de cruzeiros é “uma das mais bem equipadas e com mais experiência em termos de gestão e monitoramento das condições sanitárias dos passageiros e da tripulação a bordo, com protocolos de prevenção e actuação contra surtos de doenças contagiosas activadas ao longo do ano

error: Content is protected !!