Nonas jornadas parlamentares da UNITA com foco na situação social das populações

As jornadas, que decorrem de 11 a 13 de Março, prevêem apresentar o quadro social das populações e sugerir soluções para os mais variados problemas que o país enfrenta

Ireneu Mujoco, enviado ao Alto Zambeze

As nonas jornadas parlamentares da UNITA, previstas para o próximo mês, na cidade do Sumbe, província do Cuanza-Sul, vão reflectir, dentre outras questões, sobre a situação social dos angolanos que, na visão do partido, se vem deteriorando com a perda do poder de compra motivada pela queda sucessiva da moeda nacional. As jornadas, de 11 a 13 de Março, devem apresentar o quadro social das populações e sugerir soluções para os mais variados problemas que o país enfrenta, nos planos social, político e económico. No encontro participam os 51 deputados do Grupo Parlamentar do partido que é a segunda maior força política do país. Os parlamentares, provenientes dos mais variados ciclos, vão debruçar-se sobre diversos temas, com particular foco sobre as condições das populações.

No entanto, de forma a preparar todas as condições, está, desde Sexta-Feira, no Sumbe, uma delegação do referido partido, chefiada por Paulo Lukamba Gato e integrada igualmente pelos deputados Joaquim Nafoia e Albertina Ngolo. Contactado pelo OPAÍS na manhã de ontem, Paulo Lukamba Gato disse que as jornadas são uma ocasião para os deputados reflectirem e perspectivarem as acções inerentes à actividade do Grupo Parlamentar do seu partido.

O também deputado, que não quis avançar muitos detalhes sobre o programa da actividade, fez saber que a deslocação da equipa que chefia está naquela parcela do país para preparar as condições e traçar as estratégias em torno da actividade que vai movimentar aquela província bastante sofrida. Já outra fonte do partido, que não quis ser identificada, disse que a preparação prende-se com o alojamento, segurança, escolha do local e o contacto permanente com as entidades provinciais.

Segundo a fonte, para além dos deputados, durante a realização das jornadas estarão igualmente outros participantes, como assessores, convidados e membros do partido, pelo que é necessário que todas as condições estejam preparadas de forma antecipada, para o êxito do encontro. “Como sabe, é muita gente. E o interesse de realizarmos o acto fora da capital do país é exactamente para tomarmos esse contacto com as populações que passam por muitos problemas. E nós, os deputados, temos a responsabilidade e o sentido de missão de reportarmos a quem de direito as necessidades que o povo enfrenta”, apontou.

De referir que as oitavas jornadas parlamentares do partido tiveram lugar nas províncias da Huíla e Cunene, em Setembro do ano passado. Na altura, a escolha das duas províncias prendeu-se, sobretudo, com a problemática da seca que nos últimos anos atinge as suas populações. Uma das resoluções do encontro foi o apelo ao Executivo para declarar o estado de emergência nessas regiões, pela gravidade da situação.

error: Content is protected !!