Norte-americano morre de coronavírus na China; britânicos são infectados em resort de esqui francês

Um norte-americano de 60 anos morreu do novo coronavírus, a primeira morte não-chinesa confirmada, disseram autoridades dos EUA, enquanto milhões de chineses começam a voltar para casa após um feriado do Ano Novo Lunar estendido para tentar conter o surto

Embora a maioria dos casos esteja na China, o vírus espalhou-se para duas dúzias de outros países, incluindo para cinco cidadãos britânicos infectados num resort de esqui francês. O homem norte-americano morreu na Quinta-feira, em Wuhan, epicentro do surto de vírus na província de Hubei, afirmou um porta-voz da embaixada dos EUA, em Pequim, neste Sábado. “Oferecemos as nossas sinceras condolências à família pela perda”, disse à Reuters. “Por respeito à privacidade da família, não temos mais comentários.”

Um homem japonês, de cerca de 60 anos e hospitalizado com pneumonia em Wuhan, capital de Hubei, também morreu, após sofrer sintomas consistentes com o novo coronavírus, afirmou o Ministério das Relações Exteriores do Japão. Líderes do Partido Comunista da China isolaram cidades, cancelaram vôos e fecharam fábricas, resposta que prejudicou a segunda maior economia do mundo e terá efeitos colaterais globalmente nos mercados financeiros e empresas dependentes da China. A contagem dos mortos na China continental subiu para 722 no Sábado, segundo as autoridades, e deve passar as 774 registadas globalmente durante o surto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) entre 2002 e 2003.

A maioria das mortes na China aconteceram em Wuhan ou nos arredores. Ao longo da China continental, o número de pessoas
infectadas ficou em 31.774 até este Sábado. O vírus espalhou-se para 27 países e regiões, segundo conta da Reuters baseada em relatórios oficiais, infectando mais de 330 pessoas. Duas mortes foram registadas fora da China continental em Hong Kong e nas Filipinas. As duas vítimas eram cidadãs chinesas.

Os últimos pacientes incluem cinco britânicos que ficaram no mesmo chalé num resort de esqui em Haute-Savoie, nos Alpes franceses, afirmaram as autoridades de saúde, aumentando os temores de mais infecções num período de alta da temporada de esqui. Os cinco ficaram no mesmo chalé de esqui com uma pessoa que esteve em Singapura. Eles não estão em condições graves.

error: Content is protected !!