Ponte sobre a foz do rio Mbridge em risco de ceder

A ponte de betão sobre a foz do rio Mbridge, no município do Nzeto, província do Zaire, apresenta sinais de assentamento nos seus lais de transição com a estrada, três anos após a sua entrada em funcionamento

Em declarações à imprensa, no final de uma visita de constatação, o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Manuel Diangani, afirmou que os deslizamentos provocaram desnível na zona de transição com a plataforma da estrada, apresentando fissuras nos extremos dos dois tabuleiros. O responsável explicou que o assentamento nos dois extremos provocou uma ligeira diferenciação de nível na zona de transição entre a ponte e a plataforma da estrada. Manuel Diangani acrescentou que o deslizamento nos dois extremos da ponte deve-se ao facto de a zona de transição com a estrada estar constituída por solos pouco resistentes ou consistentes.

O também engenheiro de construção civil considera urgente a intervenção nesta infra-estrutura para a correcção das anomalias registadas para se evitar acidentes, embora considerar ser uma empreitada da responsabilidade das estruturas centrais do Executivo. O director do INEA no Zaire descartou a possibilidade da interdição da travessia nesta ponte, embora aconselha a redução da velocidade na passagem da ponte. A ponte sobre a foz do rio Mbridge compreende dois tabuleiros nos dois sentidos (ascendente e descendente) com cerca de 800 metros de comprimento cada e 45 metros de largura. Possui uma amplitude de 16 metros, com duas faixas de rodagem de 3,75 metros em cada sentido do tabuleiro. Conta também com bermas de dois metros em cada faixa de rodagem, além de espaços para a passagem de peões.

Este empreendimento rodoviário faz parte do pacote de cerca de nove pontes definitivas que foram erguidas na auto-estrada que liga o município do Nzeto ao Soyo, numa extensão de 180 quilómetros. Começou a ser erguida, em 2008, pela construtora portuguesa Conduril e foi aberta para o tráfego em 2017. Segundo consta, a ponte está dimensionada para suportar todo o tipo de tonelagem existente em meios de transporte motorizados, sendo que o seu período de vida é de 50 anos. Na sua construção, segundo ainda dados obtidos pela Angop, foram empregues 5 mil toneladas de aço e 31 mil metros cúbicos de betão, detém fundações especiais compostas por 238 estacas, que totalizam sensivelmente 10 quilómetros de fundação. O Rio Mbridge nasce na comuna montanhosa da Serra de Canda, município do Cuimba, e desagua no Oceâno Atlântico, no município do Nzeto, que dista 230 quilómetros de Mbanza Kongo, a capital da província do Zaire.

leave a reply