Ramaphosa prioriza resolução de conflitos em África

O novo Presidente da União Africana (UA), Cyril Ramaphosa, elegeu como foco do seu mandato a resolução de confl itos para a tão esperada estabilidade a nível do continente africano

POR: Angop

O também Chefe de Estado da África do Sul discursava na 33ª Cimeira da União Africana (UA), aberta este Domingo, em Adis Abeba, com a participação do Presidente angolano, João Lourenço. Cyril Ramaphosa, que subsitue o homólogo egípcio, Abdel Al-Sissi, indicou que vai trabalhar com o Presidente Denis Sassou Nguesso, na qualidade de responsável do Comité de Alto Nível Líbia-UA, para a convocação de uma conferência para o diálogo e a promoção do cessar fogo naquele país. Informou também que a organização vai continuar a trabalhar com as partes desavindas no Sudão do Sul, para a implementação de questões pendentes do acordo revitalizado, no âmbito da formação de um Governo de Unidade Nacional.

Conferência sobre calar das armas

A África do Sul vai acolher, em Maio deste ano, uma Conferência Extraordinária da União Africana (UA) que irá analisar a implementação do principal roteiro da organização continental para responder às circunstâncias de emergência. De acordo com Cyril Ramaphosa, Presidente da África do Sul e da UA, a Cimeira deve produzir acções concretas para a resolução de confl itos no continente. Segundo o presidente da UA, é necessário também fazer face aos actos de terrorismo que assolam as regiões do Sahel e do Corno de África, fenómeno que tende a espalharse para a África Austral. A África do Sul já assumiu a presidência rotativa da UA em 2002, no relançamento histórico da organização, tendo na altura como Presidente Th abo Mbeki.

Moussa Faki

Já o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki, apelou à retirada do Sudão da lista dos países que apoiam o terrorismo e uma mobilização de apoios institucionais para o desenvolvimento daquele país. A 33ª Cimeira da UA decorre até Segunda-feira (10), sob o lema “Silenciar as armas: Criando um ambiente favorável ao desenvolvimento”. Em cima da mesa está o relatório fi nal do projecto de reforma da organização continental, que visa tornar as suas estruturas menos burocráticas, mais funcionais e adaptadas aos desafios dos novos tempos. A Cimeira, deve validar ainda o consenso obtido no ano passado sobre a reforma institucional da organização e dar passos para a concretização do projecto da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLA).

A cúpula está, também, a passar em revista os relatórios dos líderes sobre questões temáticas específicas, entre as quais, a aliança contra a malária, o financiamento para o sector da saúde, acompanhamento da implementação da Agenda de Desenvolvimento 2063 da UA, bem como a questão do combate ao terrorismo e ao extremismo em África. Foi também anunciado, na abertura da 33ª Cimeira da UA, que Cyrill Ramaphosa será substituído, próximo ano, na presidência rotativa da organização, pelo Presidente da RDC, Félix Tshisekedi. À margem do magno evento, o Presidente João Lourenço, participou, com outros Estadistas africanos, na cerimónia de inauguração do Comité dos Serviços de Inteligência e Segurança na sede da UA.

leave a reply