Editorial: O mercado, o direito e a insuficiência do Estado

A educação, em princípio, num Estado que quer trilhar as vias do progresso social e quer ser justo, deve ser pública. Não é preciso ser-se um Estado socialista. Os países do Norte da Europa são um excelente exemplo da importância do ensino público para o desenvolvimento harmonioso da sociedade e para a partilha do saber, incluindo o domínio das novas tecnologias. Em Angola descambou-se para um sistema em que a escola com o mínimo de qualidade é privada.

Em que a sua proliferação fez-se em contraciclo com o declínio da escola pública, quer em qualidade, quer em e abrangência. O negocio é tentador e lucrativo, obedece apenas à lei do mercado, da oferta e da procura. Agora, o Estado não corresponde às necessidades, os privados sobem os preços e os clientes não têm como pagar. A fórmula é certeira e o estado caiu na armadilha do seu próprio atraso.

error: Content is protected !!