Federação das Câmaras de Comércio de Angola vai atrair investidores para o país

A iniciativa da Câmara de Comércio Angola/Brasil visa estabelecer maior intercâmbio comercial entre empresas nacionais e de outros países

A Câmara de Comércio Angola / Brasil com outras empresas brasileiras decidiu fundar a Federação das Câmaras de Comércio de Angola de modo a atrair o investimento estrangeiro para o país, adiantou a presidente daquela agremiação e directora da Federação das Câmaras de Comércio de Angola, Camila Silveira. Segundo a responsável, que falava ontem, em Luanda, à margem de uma conferência de imprensa para anunciar a criação da nova organização, a Federação das Câmaras de Comércio vai quebrar todas as barreiras e assim trazer empresários de diferentes ramos para o mercado angolano. A Federação das Câmaras de Comércio de Angola, criada em 2019, actua directamente nos interesses das Câmaras de Comércio em Angola, vai abranger todas as câmaras de comércio assim como empresários de toda a parte do mundo não só do Brasil e de Angola, garantiu a responsável.

“A Federação das Câmaras de Comércio de Angola ainda é nova e tem a intenção de abranger todas às câmaras de comércio mundiais, do Brasil, Angola e outros países”, destacou. Para o efeito, a Federação prevê realizar no mês de Maio, do ano em curso, no Brasil, um evento com todos os empresários brasileiros, que vai envolver as câmaras de comércios e outros industriais com vista a mostrar o potencial económico de Angola. Sublinhou que, a Federação pretende funcionar como elo de interligação de importação e exportação de Angola, ou seja, avançou a responsável, uma porta comercial mundial entre todos os países a favor de Angola. Garantiu que neste momento, existem já algumas câmaras de comércio ao nível do Brasil, Angola e não só, interessadas em fazer parte da Federação. Por isso, perspectiva que até Março ou Abril do ano em curso mais de duas mil câmaras estejam inscritas na Federação das Câmaras de Comércio de Angola. Reforçou ainda que, o principal objectivo da Câmara de Comércio Angola/Brasil é reactivar um pólo industrial e económico em Angola e mostrar a outros países as potencialidades e oportunidades que o mercado angolano oferece, tendo em conta que é um mercado bastante promissor.

“Queremos funcionar como um pólo industrial ou um centro de câmaras, onde nenhuma fica de fora”, disse. Camila Silveira sublinhou ainda que, a relação económica entre Angola e Brasil está em fase de crescimento e evolução uma vez que é um mercado único e semelhante. A responsável, que também é directora da Câmara de Comércio Angola/Brasil, sem avançar números, garantiu que existem muitas empresas que faliram por causa da crise financeira.
Cinco mil formandos em 2019 Segundo a responsável, a Câmara de Comércio Angola/Brasil formou no ano transacto um total de cinco mil jovens nas áreas de empreendedorismo e técnicas de desenvolvimento empresarial.

Para este ano, a Federaçao quer duplicar o número uma vez que estão previstos também a realização de 52 eventos em todo o país. Entretanto, desde o início do ano já formou um total de 323 pessoasnos últimos 13 dias que se enquadra na primeira formação do ano em curso. A câmara de comércio Angola/Brasil existe desde 2014 e conta com um total de 5 mil empresas associadas. A Federação das Câmaras de Comércio Angola é uma Entidade Sindical de grau superior, sem fins lucrativos, regendo-se, na sua constituição e funcionamento, pela Constituição da República de Angola, leis derivadas, por este Estatuto e pelas normas do Ministério do Comércio. Aagremiação foi fundada em 2019 e actua directamente nos interesses das Câmaras de Comércio em Angola.

error: Content is protected !!