João Lourenço visita Cabo Verde em Julho

O Presidente da república, João Lourenço, deverá efectuar, nos dias 04 e 05 de Julho deste ano, uma vista de Estado à república de Cabo Verde, a convite do seu homólogo José Carlos da Fonseca

A informação foi avançada esta Segunda-feira, em Addis Abeba ( Etiópia), pelo Estadista cabo-verdiano, no final de um encontro com o Presidente João Lourenço, que regressou ontem (10) ao país, proveniente da capital etíope. O encontro foi realizado à margem da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA), que decorreu desde Domingo, em Addis Abeba, sob o lema “Silenciar as Armas: Criando um Ambiente Favorável ao Desenvolvimento”. Em declarações à imprensa, José Carlos da Fonseca disse que o Presidente João Lourenço será, também, o convidado especial para as comemorações do 45º aniversário da independência daquele país insular, que se assinala a 05 de Julho.

Durante a visita do Chefe de Estado angolano ao arquipélago, poderão ser rubricados acordos de cooperação bilaterais nos domínios da agricultura, transportes aéreos, administração, governação electrónica, pescas, energias renováveis e turismo. Segundo o Presidente caboverdiano, essas são as áreas onde pode haver uma ampla e mais forte cooperação com Angola. Sublinhou que a cooperação com Angola está “num momento muito bom”. “Pela amizade e o tipo de relações que temos, ambicionamos sempre mais e melhor e há um clima de franco entendimento entre os responsáveis políticos dos dois países”, observou.

Com efeito, José Carlos da Fonseca disse ser muito fácil avançar para uma cooperação vantajosa, tendo em conta as grandes potencialidades de Angola. Durante o encontro, que decorreu na sede da UA, os dois estadistas abordaram a realização da próxima Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a decorrer em Setembro deste ano, em Luanda.

“Falamos sobre a grande expectativa que existe de, nessa Cimeira, ser assinado um decisivo acordo sobre a integração da mobilidade no seio da CPLP”, informou. A República de Cabo Verde apresentou uma proposta modelo de integração comunitária, apelidada de “geometria variável”, que prevê estadas até 30 dias no espaço da CPLP isentas de vistos de curta duração para profissionais, investigadores e docentes, além da autorização de residência.

O secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, declarou, recentemente, que a possível assinatura, na capital angolana, de uma convençãoquadro sobre mobilidade na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa será “um marco histórico”. Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Em Addis Abeba, o Chefe de Estado angolano reuniu-se, igualmente, com os seus homólogos do Tchad, Idris Deby Itno, e do Uganda, Yoweri Museveni.

No final do encontro com o Presidente João Lourenço, o Estadista tchadiano disse que passaram em revista a cooperação bilateral e as estratégias para se estancarem as acções terroristas nas regiões do Sahell e do Corno de África. Segundo o Estadista tchadiano, o seu país quer alargar a cooperação com Angola nas áreas da agricultura, pecuária (criação de gado) e petróleos.

Indicou, também, que o Tchad apoia a realização de uma reunião extraordinária entre os Estados membros da UA, o mais breve possível, para debater a questão do terrorismo, com tendência a se alastrar em todo o continente africano. Para Idris Deby Itno, África tem de acordar, porque a questão do terrorismo pode desestabilizar todo o continente.

error: Content is protected !!