Editorial: há sol, haja energia

Nos últimos anos, a matriz energética no país passou de 40 por cento de combustíveis fósseis para 60 por cento de energia limpa e renovável, segundo o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, que, no entanto, citado pela ANGOP, não definiu o período desta transformação. E agora, o ministro promete mais de 300 megawatts de energia solar, para este ano ainda.

Então, está para breve o fim dos apagões e a vinda de investimento na indústria, apesar da dificuldade conhecida em termos de distribuição de energia no país. É daqueles casos em que não restam muitas alternativas, há que acreditar, ajudar e esperar que tudo dê certo, de tão caro que os angolanos estão a pagar a ineficiência energética do seu país, até porque em Angola sol é o que não falta.

error: Content is protected !!