Escritor Jofre Rocha homenageado na tradicional “Maka à 4ª Feira” da União dos Escritores Angolanos

Com um percurso subdividido entre perseguições políticas, prisões, publicação de poemas a partir da cadeia, no período colonial, a reverência ao escritor, também visou saudar o seu 79º aniversário ocorrido no passado dia 5 deste mês

O auditório da União dos Escritores Angolanos foi pequeno para o número de pessoas que afluiu ao local para participar no tradicional debate “Maka à 4ª Feira”, daquela instituição que nesta edição homenageou o poeta e prosador Jofre Rocha. A actividade que iniciou às 17 horas, com a inauguração, à entrada, de uma exposição fotográfi ca retratando os diferentes momentos que marcaram a vida política e literária de Jofre Rocha, pseudónimo literário de Roberto de Almeida, foi dividida em quatro momentos especiais:

O primeiro foi reservado aos depoimentos dos escritores Norberto Costa e Virgílio Coelho, o segundo a testemunhos de amigos e familiares, nacionalistas angolanos e outras individualidades ligadas ao universo das letras. O terceiro momento concentrou-se na declamação de poesias escritas por Jofre Rocha, Benedito Freitas, Amélia Borges e o grupo musical Raízes, por Kanguimbo Ananás e Djamila de Almeida, esta última, fi lha do homenageado escritor. O quarto e último momento circunscreveu- se à venda de livros. A reverência a Jofre Rocha, pseudónimo literário de Roberto de Almeida, visou também saudar o seu 79º aniversário, ocorrido no passado dia 5 de Fevereiro. Durante a actividade, o presidente da Mesa da Assembleia da Maior Casa das Letras do País, Luís Kandjimbo, procedeu à entrega de um certificado a Jofre Rocha pelo seu contributo em prol da literatura angolana Com um percurso subdividido entre perseguições politicas, prisões, publicação de poemas a partir da cadeia, no período colonial, o programa Maka à 4ª Feira, contou com a presença de estudantes universitários, professores, escritores, jornalistas, amantes da literatura e admiradores.

O homenageado escritor

Jofre Rocha, pseudónimo literário de Roberto Antônio Victor Francisco de Almeida, nasceu em Icolo e Bengo a 5 de Fevereiro de 1941. Fez os estudos secundários no Liceu Nacional Salvador Correia. Formou-se em Ciências Sociais. Participou activamente na luta de libertação nacional. Exerceu cargos ministeriais do Governo após a independência. É membro fundador da União dos Escritores Angolanos. Publicou os livros Tempo de Cicio, 1973, Lobito, cadernos Capricórnio; Assim se Fez Madrugada, 1977, Lisboa, Edição 70; 60 Canções de Amor e Luta, 1988, Luanda, União dos Escritores Angolanos, entre outras obras literárias.

error: Content is protected !!