Embaixador garante segurança e apoio regular aos angolanos na China

Numa altura em que a epidemia já fez 1380 mortos, 55.748 casos confirmados e 10.109 suspeitos, Gong Tao assegurou que o Governo do seu país está a receber apoios e solidariedade de outros estados do mundo, tendo destacado Angola como estando na lista de países que estão a prestar toda a atenção e preocupação com a situação que a China está a enfrentar

O embaixador da China em Angola, Gong Tao, disse, ontem, que a comunidade angolana no seu país está segura e dispõe de apoios regulares do Governo, pelo que não corre risco de contaminação com o Corona Virus, que até ao momento já fez 1.380 mortos. Segundo o diplomata, que falava ontem em conferência de imprensa, aos angolanos estão a ser prestados apoios alimentares, médicos, vestuário, máscaras e sensibilização permanente, pelo que não há necessidade de as famílias em Angola se preocuparem. Conforme explicou, a situação de pânico relatadas nas rede sociais eram uma situação transitória, o que moveu o Governo chinês a desdobrar- se em esforços de forma a apoiar os angolanos e outros estrangeiros.

Numa altura em que a epidemia já fez 1.380 mortos, 55.748casos confirmados e 10.109 suspeitos, Gong Tao assegurou que o Governo do seu país está a receber apoios e solidariedade de outros estados do mundo, tendo destacado Angola como estando na lista de países que estão a prestar toda a atenção e preocupação com a situação que a China está a enfrentar. De acordo com o embaixador, apesar do número de mortos causados, o Coronavírus não é tão mortal como algumas organizações e pessoas singulares tentam insinuar de forma a sujar a reputação da China. O responsável esclareceu que, diferente de outros vírus que atingiram América e África, o Coronavírus tem uma taxa de mortalidade de apenas 2 por cento em Hubei, que é a província epicentro da epidemia. Já noutras regiões a taxa é bastante reduzida, chegando mesmo em casos de menos de 1 por cento.

Ainda assim, por constituir uma preocupação, a julgar pelas centenas de vidas humanas atingidas pela epidemia, Gong Tao fez saber que o seu Governo está, desde o primeiro caso, preocupado com a situação e vem dando respostas de forma a estancar o vírus e garantir que menos pessoas venham a ser infectadas. Neste processo, explicou, desde o primeiro caso, já um total de 6.723 pessoas foram curadas do vírus, o que corresponde ao interesse e luta de elevada competência que o seu Governo vem dando como resposta a esta epidemia. “Estamos a curar as pessoas com segurança e rapidez. O Governo chinês está a trabalhar para que as pessoas infectadas tenham uma boa recuperação. As respostas estão a ser eficientes e cada vez mais direccionadas”, frisou o diplomata.

Hubei em quarentena, mas não isolada

Ainda de acordo com Gong Tao, ante a necessidade de evitar novos casos, o Governo Chinês determinou pôr em quarentena a cidade de Wuhan e toda a provícia de Hubei, que é o epicentro da doença. Ainda assim, apesar do estado de quarentena, o diplomata garantiu que todo o apoio está a ser prestado aos moradores com medicamentos, alimentos, vestuários e outros utensílios de primeira necessidade. “A província de Hubei está em quarentena mas não está isolada. O Governo tem prestado todo o apoio às pessoas para que menos casos venham a ser registados. Como podem ver, há esforços que estão a ser feitos para que o mais rápido possível a China possa ultrapassar esta situação. E temos esperança que com o mundo, de mãos dadas, vamos ultrapassar”, assegurou.

Os heróis da batalha

Gong Tao fez saber ainda que, desde o início da doença, seis médicos perderam a vida durante o processo de cura dos doentes. Mas, ainda assim, a província de Hubei foi benefi ciada com mais vinte mil médicos e enfermeiros que estão a ajudar no tratamento dos doentes. Também destacou o reforço de um contingente militar na província que está a ajudar na sensibilização e reforço das medidas de segurança. “Esses médicos que morreram sãos os heróis da batalha. Morreram para dar vida a outras pessoas. É um gesto de humanidade e representa o espírito chinês de batalha e solidariedade para com os mais necessitados”, frisou.

Partido comunista solidário

Por outro lado, o embaixador da China em Angola disse que o partido comunista Chinês tem vindo a demonstrar todo o apoio para com os que mais sofrem, na pessoa do seu Presidente, Xi Jinping, que regularmente se desloca às zonas mais afectadas para oferecer o seu ombro a todos os que sofrem. Gong Tao disse que o momento é de luta e desafi os constantes, pelo que não há uma data específi ca para se declarar a eliminação do vírus. Porém, enquanto durar a batalha, afi rmou ser necessária a solidariedade do mundo à favor da China. Para o efeito, apelou para a necessidade de menos especulação e disseminação de informações falsas a desfavor do seu país. “A nossa certeza é que vamos vencer. Só precisamos ter esperança. É um momento de muitos desafi os e precisamos da solidariedade do mundo, porque a China é dos grandes contribuintes da aceleração da economia mundial”, apontou.

error: Content is protected !!