Governador de Benguela promete “diplomacia económica” para tapar buracos

O mais alto mandatário da província promete mobilizar recursos para se resolver os problemas infra-estruturais consubstanciados no mau estado das vias rodoviárias, para as quais a sociedade espera uma atenção especial

Eduardo, em Benguela

Com os recursos do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) atrasados, em decorrência de alegados incumprimentos de alguns dispositivos legais, segundo apurou OPAÍS, Rui Falcão tenta agora fazer aquilo a que chamou de “diplomacia económica” para resolver os principais problemas. “É preciso ir continuar a arranjar recursos e fazer a nossa diplomacia para tapar um buraco aqui e outro acolá”, garantiu, falando na apresentação da nova administradora de Benguela, Adelta Matias, aos munícipes. O governante afirmou que a única coisa que o Governo não deve fazer é ficar parado, porque, se assim for, os administrandos não o vão perdoar.

Aliás, sobre o PIIM, uma fonte familiarizada com o assunto confidenciou a este jornal que alguns municípios não terão observado aquilo que dimana das orientações superiores e, neste momento, o Governo local está a trabalhar para que, até em Abril, haja alocação dos recursos financeiros destinados à província. “Quando o dossier estiver completo, vai-se remeter ao governador provincial para autorizar as despesas e este, por sua vez, à ministra das Finanças. E aí, sim, teremos os recursos financeiros”, explicou um inspector das Finanças.

Roubos de cabos eléctricos

Rui Falcão, que se tem enaltecido do investimento na rede de distribuição de energia eléctrica, manifesta-se, entretanto, preocupado com a onda de roubos de cabos eléctricos que se vem registando nos últimos dias em Benguela, pondo, deste modo, em causa alguns trabalhos de iluminação pública. Ainda assim, o governador promete continuar a trabalhar para melhorar a distribuição de“

(…) Agora, temos que melhorar a nossa prestação na distribuição, isso implica criar recursos para adquirirmos os meios que possam garantir essa extensão”, defende.

Baixa dotação orçamental dos hospitais

O governador de Benguela lamentou o facto de a dotação orçamental dos hospitais para o presente exercício não ter aumentando, antes pelo contrário reduzido substancialmente. Apesar disso, Rui Falcão salienta que as unidades sanitárias actualmente estão melhores do que quando assumiu a condução da província, período caracterizado pela disposição de recursos financeiros. “E estamos a fazer aquilo com menos recursos do que havia no passado”, disse.

error: Content is protected !!