Novas antenas de telecomunicaçoes serão erguidas no paísem todo o país

O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM) vai continuar a investir na implantação de novas torres de telefonia móvel no país, para garantir uma maior qualidade dos serviços, reduzir os custos e expandir o acesso às tecnologias de informação e comunicação às populações

A informação foi avançada pelo administrador do Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), Fernandes Inácio. Para o efeito, o INACOM tem estado a manter encontros com as operadoras nacionais no sentido de incentivar a partilha de infraestruturas. “O INACOM tem estado a desenvolver acções com as operadoras nacionais, com vista a expandir o acesso às tecnologias de informação e comunicação”, disse Segundo o responsável, que falava recentemente à margem do workshop sobre o Sector das TIC`s e a Economia Digital”, na qual abordava sobre o tema a Regulação, a partilha de infra-estrutura entre operadoras vai permitir a redução dos custos das operações e permitir maior acesso às comunicações.

A título de exemplo, sublinhou que, em 2018, o INACOM inaugurou seis torres (antenas de telefonia móvel) no troço Maria Teresa que foi implementada através da partilha de infra-estruturas entre as operadoras nacionais Unitel, Movicel e Angola Telecom. Localizadas num perímetro de cerca de 100 Km, as seis torres têm disponibilização de sinal em 2D (voz) e 3D (dados).

A iniciativa, que é a primeira do género, foi criada à luz do Decreto Presidencial 76/14 que aprova a partilha de infra-estruturas. “Hoje, o troço Maria Teresa- N’Dalatando melhorou muito ao nível das comunicações com as províncias vizinhas e pretendemos continuar a implementar esse tipo de serviços noutras províncias do país”, garantiu Referiu, igualmente, que o projecto Angosat possui uma capacidade reservada específica para garantir maior serviço às populações. Por outro lado, e no intuito de melhorar cada vez mais o acesso às comunicações no país, disse que o governo tem à disposição o serviço denominado ‘LigaLiga’, instalados em várias zonas de difícil acesso.

O serviço Liga-Liga (de telefone comunitária via satélite, fixo) trabalha a energia solar. Apesar do serviço ser uma mais-valia para as zonas de difícil acesso, reconheceu que ainda há muito por se fazer. Por isso, revelou que até ao momento foram instaladas mais de 500 cabinas do serviço Liga-liga em todo o país. No workshop, que decorreu ontem, em Luanda, foram analisados temas como a “Estratégia nacional para as TIC em Angola”, “Banda Larga Nacional – melhorar a conectividade em Angola com as novas tecnologias”, “Mobile Money-Fintech, e-Gov e uso Seguro das TIC e da Internet”. O workshop contou com técnicos do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação (MTTI) e da representação diplomática Sueca em Angola.

error: Content is protected !!