Editorial: O mérito de Ana dias Lourenço

Catorze crianças, cujas mães são seropositivas, nasceram livres do VIH/SIDA, em 2019, na província do Huambo, no âmbito do programa de Corte de Prevenção Vertical (procedimento que impede a transmissão deste vírus da mãe para o filho). Pode-se duvidar que apenas catorze mulheres infectadas engravidaram naquele ano, mas já se pode dizer que estes dados transmitem alguma esperança. Que as mulheres saibam do seu estado de saúde e que adoptem as necessárias medidas e tratamento para proteger os seus filhos. Ana Dias Lourenço, a Primeira-dama da República, tem ainda muito trabalho, já que é o rosto principal da campanha “Nascer Livre para Brilhar”, mas a sua entrega permite que estes números avançados no Huambo inspirem outras mulheres a cuidar de si e dos seus filhos. Este é um mérito que lhe deve ser reconhecido e encorajado, apoiado. Trata-se de vidas de seres humanos. E é bom que nesta batalha haja uma comandante que é mãe, e que em África é como que a mãe de todos, tem tudo para ser ouvida.

error: Content is protected !!