Editorial: AS PPP da vida

Jornal OPaís edição 1751 de 18/02/2020

E mais um negócio pode ir parar a mãos privadas, ou seja, se está a criar um negocio na recta fi nal do tratamento do lixo. Na verdade, até poderiam ser negócios municipais, porque a governação local vai sempre precisar de dinheiro, sobretudo aquele que terá de partilhar com as camadas mais carentes da população.

Agora são os aterros sanitários, depois da recolha do lixo, uma experiência mais do que comprovadamente falhada em Angola, já que teve o foco todo no dinheiro, em detrimento da saúde pública e da especialização das empresas. Isso explica as mudanças de rostos na recolha acompanhando as mudanças de governadores provinciais, por exemplo.

Cada um deles contrata as suas empresas, e entram no mercado até empresas criadas de propósito, com tempo de vida útil ligado ao tempo da governação. vamos ver o que acontece com os aterros sanitários.

error: Content is protected !!