HGB cria área de isolamento para pacientes com conjuntivite viral

Um espaço para isolar e atender os doentes com conjuntivite viral foi criado esta semana no Hospital Geral de Benguela, informou hoje, sexta-feira, nesta cidade, o coordenador provincial do grupo de luta contra o surto, Júlio Abreu

Em declarações à Angop, o também oftalmologista Júlio Abreu disse que o espaço foi aberto a 19 do corrente e tem como objectivo isolar os pacientes com conjuntivite viral atendidos na urgência do HGB, para se evitar a transmissão da doença.

“Doravante, tão logo os doentes cheguem à urgência, serão encaminhados pela equipa de enfermagem ou de catalogadores em serviço para a zona de isolamento, evitando-se a aglomeração de pessoas que facilita a transmissão da enfermidade”, referiu.

Actualmente, as unidades sanitárias da periferia da cidade de Benguela e hospitais municipais já estão a tratar a doença, o que tem resultado na diminuição de pacientes que acorrem ao HGB, frisou.

Na ocasião, o responsável informou que, até ao momento, foram diagnosticados na província de Benguela mil e 217 casos de conjuntivite viral.

Só nas últimas 24 horas, o município de Benguela registou 206 novos casos, Baia Farta nove, Lobito 73 e Ganda sete.

Os principais sintomas da doença são edema palpebral, inchaços nos olhos, olhos avermelhados, lágrimas, sensação de areia nos olhos e de corpo estranho, que resulta em secreções (ramelas).

A conjuntivite viral tem um período de incubação de sete a 14 dias. Depois deste tempo, o vírus desaparece, mas há outros sintomas associados, por isso, torna-se necessário dar sequência ao tratamento para se ter uma cura efectiva.

Júlio Abreu aconselhou, como medidas gerais, a higienização do glóbulo ocular, lavar sempre as mãos com água e sabão após fazer o tratamento e usar compressas frias sobre os olhos.

error: Content is protected !!