Últimas casas da centralidade Zango 5 já têm donos

Das 7 mil e 964 unidades que compõem a centralidade, duas mil e 390 estavam sem ocupantes, porém, foram encontrados ontem, mediante um sorteio público. A ministra do ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, disse que o programa de habitação foi concebido para reduzir as intensas disputas de terrenos

Os cidadãos cujos números de candidatura foram sorteados nas três modalidades, designadamente Arrendamento, Propriedade Resolúvel e Pronto Pagamento, serão submetidos a um processo de entrevistas nos próximos dias, segundo a Imogestin. A empresa imobiliária informa que os contemplados com uma habitação no Zango 5 irão receber uma mensagem por SMS e por Email indicando a data e local da entrevista, assim como os documentos necessários a serem apresentados no acto da entrevista. Para se encontrar os proprietários das últimas duas mil e 390 casas, concorreram 157 mil e 431 candidatos para a última fase do processo de comercialização nesta centralidade.

Foram realizados sete sorteios, dos quais um sorteio para a modalidade de arrendamento urbano, com as tipologias de apartamento T3, vivenda isolada e vivenda geminada. O mesmo processo foi feito para as outras duas modalidades, a compra em propriedade resolúvel e pronto pagamento. De acordo com o Ministério do Ordenamento do Território e Habitação, o sorteio foi feito por meio de um algoritmo computacional (software desenvolvido por técnicos angolanos), que obedeceu aos critérios de candidaturas.

O algoritmo, defi niu, é uma sequência de passos que foi traduzido em códigos computacionais, visando escolher, aleatoriamente, os candidatos de acordo com o número de habitações disponíveis. Hoje, os contemplados verão a lista com os números de candidaturas divulgada no Jornal de Angola, Portal do Governo e redes sociais, mas sem os nomes, para evitar exposição, segundo justifi cação do ministério de tutela. O Zango 5 tem 1480 moradias unifamiliares, 1300 moradias geminadas e 5184 apartamentos implantados numa área de 416 hectares

Reduzir disputas de terrenos

Na cerimónia de sorteio, a ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, noticiada pela Angop, disse que o programa de habitação foi concebido para fazer face ao défi cit habitacional nas zonas urbanas e reduzir as intensas disputas de terrenos em todo o território nacional. Ana Paula de Carvalho referiu que o objectivo primordial é garantir o acesso a moradias condignas e, economicamente acessíveis a toda a população. A governante garantiu que o Executivo está a trabalhar para que as condições em todos os projectos habitacionais sejam similares, procedimentos de acesso fáceis, como a redução de obstáculos burocráticos, custo de inscrição, oportunidade para todos, diminuição das fi las, celeridade, justiça e transparência.

“É assim que hoje, em nome da verdade, transparência, da oportunidade de acesso a uma habitação condigna e acessível para a redução da burocracia, prosseguimos o sorteio público dos dois mil 390 imóveis no Zango 5 nas suas diferentes modalidades de comercialização”, salientou.

Acrescentou que este acto se insere no cumprimento das metas gizadas para o programa habitacional, previsto no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018-2022), no qual uma das prioridades do Executivo é o acesso à habitação e à qualidade de vida, garantia refl ectida nos direitos fundamentais, consagrada na Constituição. “No âmbito das suas funções sociais, o Executivo tem desenvolvido um conjunto de acções com vista a dar resposta ao programa habitacional, tendo em conta a conjuntura económica e o crescimento demográfi co actual”, disse.

leave a reply