Três mortos e cinco feridos num acidente de viação no Zango

uma viatura com oito ocupantes caiu na vala de drenagem do Zango, em Luanda, na madrugada de Segunda-feira. O porta-voz dos bombeiros mostrou-se indignado pelo facto de os cadáveres terem sido retirado pelos cidadãos civis

*Com a Angop

Três pessoas morreram ontem no Distrito do Zango, província de Luanda, em consequência do capotamento de uma viatura Toyota Starlet, de cinco lugares, mas que transportava oito pessoas. Cinco passageiros ficaram feridos e três foram dadas como desaparecidas em consequência do capotamento da viatura que foi parar na vala de drenagem. Os seus corpos seriam depois encontrados e retirados.

O acidente aconteceu quando a viatura, que alegadamete circulava em alta velocidade, embateu no separador e precipitou-se sobre a vala de drenagem. A Polícia Nacional, por intermédio do oficial de informação do Comando Provincial de Luanda inspector Quintino Ferreira, disse a Angop que os oito jovens que ocupavam a viatura ligeira tinham idades entre os 30 e 34 anos. O oficial apontou o excesso de velocidade e o estado de embriagues do motorista como as prováveis causas do acidente.

Bombeiros desapontados com a atitude da população

Em declarações a OPAÍS, o porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Faustino Minguês, disse que os familiares
das vítimas, por iniciativa própria, decidiram retirar os corpos, enfrentando o perigo da força da água. Faustino Minguês disse que “aquela é uma vala corrente, mas os familiares desesperadamente já não queriam aguardar pelos nossos serviços e decidiram eles mesmos retirar os corpos, aliciando pessoas com valores monetários”. O oficial do SPCB condenou a atitude dos familiares e dos jovens que mergulharam, tendo referido que pelas características da vala, havia o risco das pessoas que fizeram o trabalho de remoção se tornarem também vítimas.

Minguês disse ainda não entender este comportamento das famílias, garantindo que já estava no local uma equipa de bombeiros que fez o resgate dos cinco feridos. Depois disso, aguardavam pelos seus colegas mergulhadores. Por outro lado, refutou algumas informações que davam conta de que não existia qualquer bombeiro no local. Acrescentou que foram os bombeiros que retiraram a viatura e faziam o cordão de segurança, enquanto aguardavam pelos mergulhadores. “Não tem nada a ver. Nós temos áreas de especialidade e quando tomamos conhecimento accionamos os nossos mergulhadores que estavam a caminho, enquanto alargávamos o perímetro para se fazer as buscas”, justificou.

Mais de dois mil mortos nas estradas em 2019

Em 2019 morreram em Angola duas mil e 327 pessoas em consequência de 10 mil 710 acidentes de viação que resultaram também em 11 mil e 768 feridos, números inferiores aos registados em 2018, segundo dados da Polícia Nacional apresentados em Janeiro do corrente ano.

Os dados revelados pelo comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, na 1ª Sessão Extraordinária da Comissão Executiva do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT), ainda são preocupantes. Segundo Paulo de Almeida, apesar de se registar uma ligeira diminuição de acidentes comparativamente a 2018, os acidentes continuam a ser a segunda maior causa de morte no país.

 

 

 

error: Content is protected !!