UNITA disponibiliza mais de 250 bolsas de estudo para jovens

são, no total, 254 bolsas de estudo directas e indirectas que este partido político pretende atribuir a jovens, membros e não membros do partido, com a intenção de fomentar a importância do ensino no país

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, procedeu, ontem, em Luanda, à entrega simbólica de um cheque no valor trimestral de treze milhões e 500 mil kwanzas para financiar noventa bolsas de estudo directas que serão concorridas por jovens membros desta força política. Adalberto Costa Júnior esclareceu que, além destas noventas bolsas, que terão um valor de cinquenta mil kwanzas mensais, por um período de quatro anos, a UNITA disponibilizou ainda outras 164 bolsas indirectas, sendo uma por cada município do país, totalizando 254 bolsas.

Explicou que as 164 são bolsas autofinanciadas, mas num valor bastante superior a cinquenta mil kwanzas e vêm acompanhadas de oportunidade de trabalho. Avançou que os concursos para a selecção de candidatos vão ser definidos por uma comissão chefiada pela vice-presidente do partido, que tem os critérios já determinados e que vão privilegiar fundamentalmente a representatividade nacional. As bolsas estão distribuídas igualmente pelas províncias e pelos municípios, tendo em conta o critério da representatividade do género, sendo que numa fase inicial serão repartidos cinquenta por cento para homens e cinquenta por cento para mulheres.

“Nós temos o compromisso absoluto de cumprimento destas bolsas. Vamos entregar os valores trimestralmente, espero que haja capacidade de gerir, porque o mensal é um tempo curto e dá muito mais trabalho”, disse, Adalberto Costa Júnior. A aposta na formação de quadros é um dos desafios assumidos pelo actual presidente da UNITA, na altura da sua campanha. Adalberto Costa Júnior sublinhou que o aspecto ligado à formação é uma responsabilidade absoluta do seu governo, que tem que saber repartir as verbas disponíveis para responder à procura.

Referiu que com este gesto, a UNITA não está a responder às soluções do problema da educação em Angola, mas está a fazer um gesto do quão é importante o aspecto da formação, e enquanto partido político está a partilhar uma parte dos seus recursos para fomentar a importância do ensino, defendendo a formação gratuita. “Vamos ser rigorosos, isso não é uma novidade na UNITA.

O partido foi sempre tendo na recta-guarda da frente a escola e sempre teve como uma das suas grandes prioridades, a preparação das futuras gerações e das futuras lideranças, trata-se de um investimento rigoroso, mas com uma exigência, uma reprovação, é o fim da bolsa, isso porque nós temos que formar excelência para o país”, salientou. Garantiu que as regras do concurso vão ser de transparência absoluta, a comissão vai divulgálas e junto de cada sede do partido será afixada informação adequada.

“Esperamos todos nós que o Governo sinta pressão com esse tipo de iniciativa. Uma pressão acrescida de investimento na educação e na formação com qualidade”, avançou.

Reabertura da escola de formação política

Adalberto Costa Júnior que tinha prometido a reabertura da escola de formação política comandante Kapessa Kafundanga, aquando da campanha que o levou à liderança do partido, informou que há uma comissão que está a estudar onde será erguida.

error: Content is protected !!