Carta do leitor: Quem paga o meu carro?

POR: Genovena Finda

Caro director do OPAÍS, eu já não posso mais. Moro no Nova Vida e garanto que as coisas estão muito difíceis. Para guiar no Nova Vida, a pessoa deve ter seis olhos, só para não ter um acidente e também para não estragar o carro. Há dias, vinha eu das compras e de repente, numa curva, tinha dois motoqueiros à esquerda e outros dois à direita, já sobre o passeio. Eles não querem saber nem de regras, nem de bomsenso. Não tive alternativa, tive de enfiar o carro num buraco no meio da estrada, fiquei com o para-choque arrancado. A Polícia não faz nada para pôr ordem nos motoqueiros, que andam de qualquer forma. O Governo não põe transportes públicos para as pessoas deixarem de usar o kupapata e estes serem forçados a aprender o mínimo de comportamento e regras da estrada. E a Administração parece que vive noutro planeta e não consegue ver como já não uma só rua no projecto que não tenha um buraco a cada vinte metros. e alguns buracos são enormes e profundos. Estou a escrever para saber se algum advogado quer começar a processar o Estado pelos danos que os nossos bens sofrem por falta de cuidados do próprio Estado. Acho que seria bom que um advogado publicasse neste jornal um anúncio para estes serviços, eu seria cliente número 1. Porque quem paga os danos no meu carro sou eu, não o Estado a quem pago impostos e taxas para ter as estradas bem asfaltadas e cuidadas. e sinalizadas.

error: Content is protected !!