Fundação Arte e Cultura inaugura Centro Cultural para inclusão cultural e social

Durante o acto de inauguração, crianças afectas ao projecto apresentaram várias performances artísticas, resultante das formações ministradas no espaço desde Agosto do ano passado

POR: Texto de Antónia Gonçalo
fotos de Lito Cahongolo

No quadro da sua função de responsabilidade social, o Grupo Mitrelli, através da Fundação Arte e Cultura, inaugurou ontem, 28, na Ilha de Luanda, um Centro Cultural, com vários compartimentos, onde serão ministradas aulas de diversas disciplinas artísticas às crianças da comunidade. O espaço, que funcionará também como sede da Fundação, inclui um centro comunitário e pólos de actividades, como um anfiteatro com capacidade para albergar 300 pessoas, salas de formação especializadas em diversas áreas, como de música, onde serão realizadas aulas de guitarra, piano e percussão.

Além dos projectos mais emblemáticos da Fundação, a Galeria Tamar Golan e a Casa da Música, o centro vai ainda ministrar aulas de dança, capoeira, artes plásticas, artesanato, corte e costura, dança, reciclagem e decoração, capoeira e ioga. Os contemplados vão ser ainda capacitados com aulas de informática, assim como oficina de carpintaria, uma biblioteca infantil e uma horta comunitária, cuja intenção é incentivá-las a valorizarem a agricultura familiar e o poder da alimentação biológica.

Além das crianças e jovens da comunidade inscritos, cerca de 350, os constituintes dos centros de acolhimento, onde a Fundação tem desenvolvido os seus trabalhos desde 2006, vão passar a beneficiar das acções no espaço.O presidente da Fundação, Haim Taib, avançou que no próximo mês, actividades do género serão desenvolvidas na província do Huambo, de modo a fazer com que a classe possa também beneficiar das iniciativas. O responsável avançou que, desde 2006, têm apoiado a arte e a cultura angolana, bem como a arte educativa. “A base da nossa vida é a arte, a cultura e a educação. Por isso, é muito emocionante trabalhar com essas crianças. Trazemolas aqui, conversamos com os pais para deixarem vir aqui e beneficiar das formações. Por isso, criamos as condições e estamos muitos felizes com o nosso trabalho. Tudo o que investimos é a favor das crianças de Angola”, enfatizou.

Ministério da Cultura enaltece trabalhos

Por sua vez, o secretário de Estado para as Indústrias Culturais, João Pedro Lourenço, que presenciou as actividades desenvolvidas, em representação da ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, parabenizou a Fundação e a sua equipa de trabalho, pelo projecto de responsabilidade social e inclusão social desenvolvido. João Pedro Lourenço disse que o Ministério da Cultura está disponível para prestar apoio solidário, ao colaborar com a Fundação, para o alcance dos seus objectivos sociais, assim como viabilizar a colaboração dos professores de artes e desenvolver projectos em comum. Avançou que, acções do género beneficiam a Lei do Mecenato, através do incentivo fiscal. “A diferença deste projecto não é apenas a responsabilidade social, mas também a inclusão social, que permitirá às crianças nos centros de acolhimentos terem uma profissão e sejam independentes”, advogou o governante.

error: Content is protected !!