Angola e Zâmbia assinam acordo de cooperação no sector eléctrico

Com a assinatura do acordo, as partes autorizam, assim, as suas respectivas concessionárias nacionais de energia a colaborar e a cooperar, visando a identificação de projectos comuns, a realização de estudos de impacto ambiental, obtenção de financiamento, bem como a assinatura de acordos complementares, caso sejam necessários, visando a materialização dos superiores interesses de ambos os Estados

Os municípios angolanos que fazem fronteira com a República da Zâmbia poderão receber energia eléctrica do país vizinho por via da implementação de projectos de interconexão de transmissão deste precioso bem. Segundou soube o OPAÍS, o plano será executado por duas empresas públicas de transporte eléctrico de Angola e Zambia. No início desta semana, os ministros da Energia dos dois países, nomeadamente João Baptista Borges, por Angola e Matthew Njhuwa, pela Zâmbia, baixaram instruções precisas no sentido de as duas operadoras públicas iniciarem imediatamente as acções constantes no acordo, mediante a criação de mecanismos que viabilizem a troca de informação e intercâmbio constantes.

Com a assinatura do acordo, as partes autorizam, assim, as suas respectivas concessionárias nacionais de energia a colaborar e a cooperar, visando a identificação de projectos comuns, a realização de estudos de impacto ambiental, obtenção de financiamento, bem como a assinatura de acordos complementares, caso sejam necessários, com vista a materialização dos superiores interesses de ambos os Estados.

No âmbito do referido acordo, em Abril deste ano, o ministro zambiano da Energia poderá visitar Angola, com uma delegação composta por técnicos e empresários do sector eléctrico, visando identificar outras áreas de interesse comum e promover a troca de experiências. O fornecimento de energia à Zâmbia é assegurado, em 85 por cento, por quatro fontes hidroelétricas e uma estação térmica, nomeadamente, kafuegorge/990 MW; Kariba North Bank/720 MW; Kariba North Bank Extension/360 MW; Victoria Falls/108 MW e a central térmica do Itezhi-Tezhi Dam/120 MWAntes De referir igualmente que o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges, participou na sétima reunião do Conselho de Ministros da ZAMCOM, órgão regional, integrado por oito países, cujo propósito é a gestão da bacia hidrográfica do Zambezi.

O embaixador de Angola na Zâmbia, Azevedo Francisco, que acompanhou a visita ministerial, enfatizou o bom momento das relações entre Angola e a Zâmbia, tendo anunciado para Março próximo, em Luanda, a assinatura do acordo para a construção do oleoduto, destinado ao fornecimento de derivados de petróleo de Angola para a Zâmbia.

error: Content is protected !!