Aumento rápido de casos de coronavírus é contido em Wuhan

O rápido aumento dos novos casos do coronavírus em Wuhan, capital da província de Hubei, no centro da China, foi contido, informou, nesta Sexta-feira, um funcionário de saúde da China

Liang Wannian, chefe do painel de especialistas chineses para resposta e tratamento do surto, disse numa entrevista colectiva que Wuhan é o centro do surto e também a cidade mais afectada. No entanto, o número diário de novas infecções confi rmadas, novos casos suspeitos, a percentagem de casos graves e críticos em casos confi rmados, bem como a taxa de mortalidade estão todos a diminuir, disse ele. “Esses quatro índices indicam que a epidemia está a ser efectivamente controlada”, apontou Liang.

Em Wuhan, o número de novos casos confi rmados culminou em 3.910, em 13 de Fevereiro, e caiu para 313 em 27 de Fevereiro, enquanto o número de pacientes recém-curados que receberam alta do hospital ultrapassou o número de casos confi rmados pelo oitavo dia consecutivo desde 20 de Fevereiro, de acordo com Liang.

A proporção de casos graves entre pacientes confirmados está a cair, continuamente, de 31,6%, em 11 de Fevereiro, para 22,4% em 27 de Fevereiro. A taxa de mortalidade também caiu de um pico de 9%, em 26 de Janeiro, para 4,4% até ao momento, acrescentou. Liang disse que, com base nas suas pesquisas, o surto local do vírus mortal, em Hubei, excepto Wuhan, também foi contido, acrescentando que o número de infecções recém-confi rmadas fora da capital provincial caiu para cinco por dia, em contraste com 1.400 em 12 de Feve
reiro e a taxa de fatalidade também caiu para 3,1% em 27 de Fevereiro.

O país inteiro (excluindo Hubei) testemunhou um rápido declínio nos novos casos confi rmados, que caíram de 890 em 3 de Fevereiro, o pico, para nove. Os pacientes recém-recuperados e que tiveram alta também superaram os confi rmados pelo 16º dia consecutivo a partir de 12 de Fevereiro. Não foram relatados novos casos confi rmados da COVID-19 em 24 regiões provinciais da China, em 27 de Fevereiro.

No entanto, a equipa de especialistas acredita que o crescimento zero não signifi ca risco zero. “A situação de prevenção e controlo de epidemias na China permanece preocupante e complexa e ainda há incertezas. Portanto, não devemos ser cegamente optimistas e o trabalho de prevenção e controlo deve continuar”, alertou Liang.

leave a reply