Vice-presidente do MPLA apela à humanização dos serviços de saúde

A vice-presidente do MPLA, Luísa damião, exortou, nesta Segunda-feira, em Luanda, a maior humanização dos serviços de saúde, para reduzir o índice de mortalidade materno-infantil em Angola

Luísa Damião falava à imprensa no final da visita ao Hospital Materno-infantil Mãe Jacinta Paulino, em Viana, e ao Centro de Saúde da Paz, no município do Cazenga, enquadrada nas jornadas do Gabinete de Cidadania e Sociedade Civil do MPLA, denominadas “Mulher sempre mulher”. Na ocasião, felicitou as mulheres angolanas pelo seu dia, que ontem (2 de Março) se comemorou, realçando o facto de “constituírem 52 por cento da população e serem mães da outra parte da população”, com grande responsabilidade para o desenvolvimento do país, como vocação.

Disse ter escolhido, intencionalmente, visitar as duas unidades sanitárias, onde trabalham maioritariamente mulheres, dedicadas à implementação das políticas de saúde, de modo a tornar o serviço mais acessível às populações. Para Luísa Damião, sente-se que os “profissionais de saúde estão motivados e que usam o sacerdócio para atender os pacientes”. Apelou, também, à adesão ao planeamento familiar, usando os meios disponíveis para facilitar o controlo da natalidade.

A vice-presidente do MPLA prometeu fazer advocacia de forma a ajudar a superar as dificuldades apresentadas, relativas à falta de espaço para a construção de consultórios, de um aparelho de RX e de ambulância para o hospital materno-infantil. O director do Centro de Saúde da Paz, António Sango, aproveitou a visita para apresentar aquela que considerou ser a “principal dificuldade” da instituição, o estado de conservação da via de acesso, que se encontra alagada e esburacada. O hospital de Viana, com 60 camas, atende cerca de 700 utentes por dia.

error: Content is protected !!