Dava jeito saber…

Se fossem talhos, eu até entenderia sem reservas, mas matadouros encerrados pelo Comércio, bem, fica uma interrogação. O que fazem então os serviços veterinária? Não deveriam ter sido estes serviços a pronunciar-se sobre os matadouros do mercado do Quilómetro 30? Também me ficou uma dúvida sobre se deve mesmo ser o Ministério da Saúde a decretar o encerramento das fronteiras angolanas a cidadãos vindos de determinadas origens. Dúvidas apenas, desculpem, sou mesmo leigo e preciso de explicações mais claras. Algumas dependências de bancos têm colados uns avisos a proibir o uso de câmaras fotográfica e de telefones no interior. A razão, explicam os funcionários, é de segurança. Somos todos suspeitos, o que é um insulto à cidadania. A estes avisos falta um reforço, no entanto, o da lei. Bastava referir o decreto que proíbe que eu pegue no meu telefone no interior de um banco, como acontece com os sinais de proibição de estacionamento que se coloca nos portões das casa. Mas falta também número oficial de homologação ou carimbo administrativos nos sinais de trânsito. Ou será que os bancos já elaboram leis que condicionam o cidadão? Ou será que posso pegar numa placa, pintar e condicionar o trânsito na minha rua, sem uma autorização legal?

leave a reply