“Núcleo duro” das Gingas do Maculusso junta-se para show Reencontro

A confirmação oficial e os pormenores à volta da junção e do “Reencontro” das Gingas do Maculusso acontece esta Quarta-feira, quando o conjunto apresentar os meandros do concerto à imprensa

‘Gingas, o Reencontro” é a designação do concerto musical das actuais e ex-integrantes do agrupamento Gingas do Maculusso, a ter lugar na Casa 70, em Luanda, no dia 28 de Março, numa iniciativa da produtora Zona Jovem Produções. Entretanto, o conjunto musical fala hoje à imprensa, sobre os preparativos do show, as razões que as levaram a juntarem-se novamente, a continuidade do projecto Gingas do Maculusso, modelos do concerto, escolha do reportório entre outras questões.

Desse modo, os promotores do concerto “Gingas,o Reencontro” estarão no local representados por Gersy Pegado, Daniela Miranda (Paula), Patrícia Faria, Josina Stella, Celma Miguel, Maria João, Kizua Gourgel e Figueira Ginga, acompanhados pela sua mentora e directora, a professora Rosa Roque. Até antes do anúncio oficial do show “Gingas, o Reencontro”, nas redes sociais, segundo apurou este jornal, os internautas manifestaramse felizes pela notícia, mostrandose bastante expectantes em voltar a ver actuar um dos conjuntos maioritariamente integrado por mulheres.

Na página na rede social Facebook, alguns internautas vaticinaram que estava para breve o grande “Reencontro” depois da homenagem feita pela Rádio Luanda através do programa “Sons da Banda”, às Gingas do Maculusso. Muitos outros parabenizaram a iniciativa, com mensagens como: “Oba! Parabéns, as Gingas fizeram parte da minha adolescência e gostaria que a união fosse para valer daqui em diante!”. Podia-se ainda ler “Sinto-me orgulhoso de ter seguido todos os vossos passos. Filhas legítimas do mundo África, minhas Gingas Oye, oyeeeee!; Benguela oyeeeeee!”, uma referência a um dos extratos da música “Filhas de África”, um dos hits do conjunto até ao momento muito ouvido.

Repertório

O público pode voltar a ver e ouvir temas do vasto reportório do agrupamento como “Hino a Kalandula”, “Mestre Geraldo”, “Ndange”, “Filhas de África”, “Fuba”, “Kabetula”, entre outros sucessos resultados dos álbuns “Mbanza Luanda”, “Malanje-Natureza& Ritmos”, “Xiyami”, “Muenhu” e “Luachimo”.

O que elas fazem?

Por imperativos de opções profissionais alguns integrantes do conjunto tiveram de deixar o grupo e abraçar outros desafios profissionais. Os demais nem por isso. De modo geral, de forma indirecta, o “bichinho” da música toca a cada um deles. Gercy Pegado, por exemplo, apresentou a solo o álbum “Mamangola”, dedica-se à moda como estilista, dedicando-se, igualmente, à escrita tendo publicado o livro “Gingas na minha retina”. Com a companheira Patrícia Faria. Recentemente, homenagearam o músico Carlos Burity. A mesma Patrícia é uma mulher de vários ofícios. Radialista, advogada, gestora cultural e cantora. Agrega no seu curriculum um troféu no Top dos Mais Queridos, tendo sido a primeira mulher a vencer este concurso. Tem no mercado os álbuns “Emé Kia”, “Baza-Baza” e “De Caxexe”.Por sua vez, Celma, Paula e Josina estão mais afastadas das lides musicais, mas vão aparecendo pontualmente sempre que chamadas. No entanto, dedicam-se ao funcionalismo público em grandes empresas do país. Integram igualmente o grupo o músico Kizua Gourgel, trovador e compositor e o guitarrista Figueira Ginga, gestor de uma empresas e CEO da produtora Zona Jovem Produções.

O grupo

Lançado em 1983, num dos programas infantis da Rádio Nacional de Angola, as Gingas do Maculusso têm uma trajectória de sucesso e um lugar de destaque na memória musical e afectiva dos angolanos. O reencontro foi anunciado há um mês pelas redes sociais e a reacção dos fãs foi de surpresa e uma imensa vontade de matar saudades guardadas.

error: Content is protected !!