Sobrevivente de Singapura relata como foi lutar contra coronavírus

Julie afirmou que seus pulmões entraram em sobrecarga depois de contrair o COVID-19, enquanto lutava até mesmo para ir ao quarto- de-banho.

A paciente, que se recuperou do coronavírus, contou como ela lutou contra o vírus e o que sente uma pessoa no seu momento mais perigoso. No dia 3 de Fevereiro, Julie, de Singapura, demonstrou sintomas semelhantes aos de uma gripe, com febre de 38,5 °C, revela o jornal Daily Star. “Eu senti-se um pouco cansada e lembro-me de dormir o dia inteiro”, afirmou ao canal BBC 5 Live.

“E depois disso, a febre desapareceu e pelo resto da semana eu estive bem. Eu nem sequer espirrei ou tossi.” No entanto, após cinco dias, os médicos disseram que ela estava contaminada com Coronavírus. Julie foi levada a um hospital para quarentena, onde ela cuidaria de si mesma. A paciente disse ao canal britânico: “eu recebia a minha comida por uma escotilha de segurança, assim como a minha medicação, roupas e toalha”. A singapuriana relatou que este período foi o mais solitário durante a sua recuperação.

Contudo, ela afirma que o momento mais difícil foi: “quando eu estava a passar pelo estágio crítico, uma das coisas com as quais me deparei foi a respiração. Parecia que os meus pulmões estavam sobrecarregados, eles estavam realmente a fazer um esforço”. Julie agregou que era desafiador até mesmo ir ao quartode- banho caminhando, uma vez que tudo parecia ocorrer em “câmera lenta”. Durante nove dias, a moradora de Singapura lutou contra o vírus até que, para seu alívio, finalmente testou negativo. “Eu acho que quando você tem medo, individual ou em larga escala, isso alimenta muita ignorância e também muito preconceito”, conclui Julie.

error: Content is protected !!