Psicóloga defende aposta nas mulheres extremamente vulneráveis

A psicóloga Elisa Gurgel defendeu ontem, em Luanda, que se deve apostar cada vez mais nas mulheres extremamente vulneráveis, à margem da palestra sobre a Situação Económica Social da Mulher Angolana, no espaço a Voz da Criança no INAC

A psicóloga Elisa Gurgel disse que o seu apelo não está direcionado a mulher profissional, aquela que no dia-a-dia está no seu local de trabalho, que fruto do que exerce, tem um salário no fim do mês, mas sim, de mulher extremamente vulnerável, aquela que nem é zungueira. “Estou a falar daquela mulher que nem é estatal ou privada. Estou a falar daquela mãe que é esposa, que tem filhos e não tem por onde ir buscar [sustento] porque depende unicamente do marido. E o que o marido ganha não chega para as exigências do dia-a-dia. Dizer que sim, nessas mulheres devemos apostar cada vez mais”, afirmou.

A directora-geral adjunta do INAC esclareceu que existem programas relacionados ao combate à pobreza que o Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher está a liderar a nível de todos os municípios do país, sendo que a grande preocupação na sua maioria são mulheres que precisam de uma atenção. Fez saber ainda que existem várias políticas no que concerne ao projecto do pessoal relactivamente ao “Programa de Transferências Sociais Monetárias” que, em grande medida, ajudam as famílias extremamente vulneráveis que não têm capacidades económica ou financeira para a sua sustentablização.

De acordo com Elisa Gurgel, é um dinheiro que ajuda as famílias apesar de não ser muito, mas ajuda a prover alguns bens alimentares. No leque dos beneficiados desse projecto, aqueles que têm três filhos recebem 27 mil kwanzas para ajudar na casa, na compra de caderno, medicamentos e alimentação quotidiana. Elisa Gurgel, que falava em alusão ao mês de Março, dedicado as mulheres, felicitou todas as mulheres angolanas, sublinhando que são guerreiras e lutadoras, embora terem ainda

error: Content is protected !!