Governo reduz interdição de entrada no país

O Governo angolano decidiu, nesta Quinta-feira, autorizar a entrada, no país, de cidadãos provenientes do Egipto, da Argélia e da Nigéria, 24 horas depois da interdição imposta, por causa de casos de coronavírus (Covid-19). Os três países faziam parte de uma lista de sete Estados com casos confirmados do vírus, cujos passageiros estavam interditos de entrar em Angola. Com essa medida, ficam abrangidos pela interdição apenas os passageiros que fizerem vôos directos da China, Coreia do Sul e da Itália, que estão entre os mais afectados pelo vírus.

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública do Ministério da Saúde, Franco Mufinda, a nova medida prevê a quarentena de todos os viajantes que estiveram no Egipto, na Argélia e Nigéria nos últimos dias. Em declarações à TPA, o dirigente reafirmou que os demais, provenientes da China, Coreia do Sul, Irão e Itália continuam impedidos de entrar em solo angolano.

O surto de Covid-19, detectado em Dezembro, na China, e que pode causar infecções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.300 mortos e infectou mais de 95 mil pessoas em 79 países, incluindo oito em Portugal. Em África já estão confirmados casos no Egipto, Nigéria e Algéria. Nesta Quintafeira, confirmou-se o primeiro caso positivo na África do Sul.

Das pessoas infectadas, mais de 50 mil recuperaram. Além de 3.012 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América e Filipinas, San Marino, Iraque, Suíça e Espanha. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

error: Content is protected !!