Fórum sobre empreendedorismo cultural incentiva jovens criadores

O seminário organizado pelo Instituto Angolano da Juventude inseriu-se no Programa de Promoção da Empregabilidade, à luz do PdN- Plano de desenvolvimento Nacional e culminou com a outorga de certifi cados aos participantes

Uma aula académica, assim foi caracterizado o recém- realizado Fórum sobre Empreendedorismo organizado na Mediateca de Luanda, pelo Instituto Angolano da Juventude, onde durante dois jovens artistas, empreendedores, agentes culturais e artistas foram informados sobre questões ligadas à criação de actividades comerciais, culturais e financiamento, assim como experiências de sucesso em iniciativas de cariz cultural. O seminário que reuniu mais de 200 jovens oriundos de diferentes circunscrições de Luanda visou, entre outros aspectos, promover e apoiar o empreendedorismo cultural nos vários domínios artísticos com objectivo de incentivar os fazedores de cultura e arte a investirem na aquisição de conhecimentos e habilidades técnicas que os permitam identificar oportunidades de negócio e massificar os seus dividendos com a arte que pratica.

Foram ainda transmitidos conhecimentos sobre créditos para empreendedores culturais, investimentos para iniciativas empreendedoras, bem como empreender com base na Cultura e na arte. A iniciativa visou, igualmente, impulsionar a transformação dos jovens inseridos neste ramo em jovens empreendedores, com todos os benefícios dos demais ramos da actividade económica e produtiva. Um outro pormenor importante a realçar deste seminário foi a questão da formação profissional destacada pelo Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM). Esta acção visa a aquisição de conhecimentos, capacidades, atitudes e comportamentos necessários ao bom desempenho de determinada profissão.

O objectivo é, segundo o INAPEM, apoiar no fortalecimento do sector empresarial, estabelecendo uma rede de formadores que disponibilizem consultorias especializadas que vão ao encontro das necessidades específicas de cada promotor. Ao intervir no Fórum, o secretário de Estado Para a Juventude, Fernando João, enaltecendo a iniciativa, adiantou que, falar do empreendedorismo cultural é do crescimento e da diversificação da nossa Cultura, onde a criatividade, inovação e atitude constituem factores indispensáveis para o perfil do empreendedor.

No seu entender, a valorização atribuída ao empreendedorismo, justifica-se pelo facto de que grande parte dos empregos gerados no mundo, provém de pequenas iniciativas ou negócios, e no nosso país o cenário não deve ser diferente. Cientes dessa amplitude social e económica, o dirigente acrescentou, que o Executivo através do seu principal instrumento de governação – Plano Desenvolvimento Nacional (PDN/2018-2022), traçou medidas para facilitar a inserção dos jovens na vida activa, na qual adopta o apoio ao empreendedorismo juvenil como uma das suas ferramentas de inclusão económica e social, por estimular e empoderálos, dando margem ao surgimento de novas fontes de receitas e novos postos de trabalho.

error: Content is protected !!