Nações Unidas financia USD 265 milhões para o programa de desenvolvimento sustentável em Angola

O valor, que vai servir para apoiar os sectores sociais, económico e político no país, é fruto de uma cooperação entre o governo angolano e as Nações Unidas estabelecido através de um acordo de cooperação firmado, ontem, entre as duas partes

As Nações Unidas em Angola e o governo angolano assinaram, ontem, em Luanda, um acordo de cooperação com vista a apoiar o Programa de Desenvolvimento sustentável no país no periodo de (2020- 2022), que passam desde o apoio aos sectores socais e o crescimento da economia angolana. O acordo foi assinado, ontem, pelo ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, e pelo o coordenador residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Baladelli. Segundo o coordenador residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Baladelli, a organização que representa vai investir um total de USD 85 milhões por ano até 2022. Garantiu que, dos USD 265 milhões para o projecto, estão disponíveis 50% do valor previsto.

Balladelli disse ainda que, com esse acordo, as Nações Unidas comprometem-se em ajudar Angola a tornar-se num país desenvolvido sem pessoas pobres e com uma economia cada vez mais activa e dinâmica. Referiu que o programa vai atingir áreas como a transformação económica e social do país, emprego para os jovens e empoderamento da mulher, meio ambiente e resiliência da população vulnerável que requer o acesso a energia limpa e acesso ao meio ambiente, bem como à democracia e estabilidade. No ponto de vista da administração, sublinhou ser importante a existência de instituições fortes com novos paradigmas, bem a como desburocratização de poderes e de recursos. Salientou ser também necessário garantir as condições de estabilidade e segurança às populações para que os cidadãos tenham acesso à justiça.

Para que estas e outras metas sejam alcançadas, avançou o responsável, há necessidade de o Estado angolano atingir as metas globais da Agenda 2030 e os 17 objectivos de Desenvolvimento sustentável (ODS), bem como as metas do Plano de Desenvolvimentos Sustentável (PND 2018-2022). “Essas metas permitirão o alcance dos ODS, assim como o bem estar da população”, disse Por sua vez, o ministro da Economia e Planeamento, Sérgio dos Santos, disse que, o governo angolano reafirma a preocupação com as pessoas, o planeta, a prosperidade com a paz e instituições fortes assim como as parcerias.

No domínio das parcerias, em particular, o protocolo pretende atingir quatro objectivos concretos que passam por garantir a coesão social para o país, a defender a sustentabilidade ambiental assim como garantir o crescimento económico. Para o efeito, acredita ser necessário vencer três grandes desafios, entre eles a materialização de ideias, através de projectos executáveis e com efeitos positivos na vida da população. “De nada vale realizarmos esse pacto de cooperação se a vidas das pessoas não se altera”, disse Já o secretário de Estado para as relações exteriores, Teté António, em representação do ministro das Relações Exteriores Manuel Augusto, Angola está comprometida em apoiar a equipa das Nações Unidas e outras instituições internacionais empenhadas na implementação dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis, sendo esse um dos marcos fundamentais para o alcance do crescimento económico.

error: Content is protected !!