Emancipação artística retratada em exposição no Tamar Golan

a exposição, que estará à disposição do público até 30 do corrente mês, enquadra-se na agenda cultural “Março Mulher”, desenvolvida pela galeria. A amostra inaugurada aborda a emancipação, através das artes

Uma exposição de quadros de pintura e escultura, feita por 10 mulheres angolanas, denominada “Emancipação” foi inaugurada na Sextafeira, 6, em Luanda, pela Fundação Arte e Cultura, através da Galeria Tamar Golan. A mostra enquadra-se na agenda cultural “Março Mulher”, desenvolvida pela Fundação Arte e Cultura e, através das obras, aborda a emancipação. A mesma estará à disposição do público até 30 do corrente mês, podendo ser visitada de Segunda a Sexta-feira. O responsável do Gabinete de Comunicação e Imagem da Fundação, Camilo Lemos, explicou que, para além de saudar o “Março mulher”, a exposição
visa ainda dinamizar a cultura e a arte angolana feita pelas mulheres.

Por essa razão, a galeria é tida como o lugar em que as artistas terão a oportunidade de mostrar as suas obras ao país e ao mundo. Com esta iniciativa feminina, o responsável explicou que se aproveitou a oportunidade, por um lado, para enaltecer o mês da mulher, e , por outro lado, abrir e inaugurar de forma glamourosa as exposições neste novo espaço da Galeria. Camilo informou que, desde ontem, houve, no mesmo espaço, uma feira com mercado alternativo com comida, desporto, produtos naturais, têxteis, humor e música ao vivo. As actividades incluem ainda a realização de workshops com temas que vão desde a reciclagem, emoções, nutrição, sustentabilidade, educação sexual, desafios no relacionamento, direitos das mulheres, finanças e empreendedorismo.

Intercâmbio

No ano passo, disse, a Fundação realizou uma Conferência Internacional Artística e Cultural, que contou com a presença de representantes de universidades de artes dos Estados Unidos da América, Perú, Polónia e Israel, que puderam partilhar conhecimentos artísticos e cultural com os artistas nacionais e docentes do Instituto Superior de Artes. Informou que fruto desse intercâmbio surgiu da Polónia, para este ano, um convite para que os artistas nacionais participem de uma exposição que terá lugar neste país.

“Está aberto o caminho para que artistas nacionais continuem a internacionalizar as suas artes através da fundação”, concluiu. Recentemente, a fundação inaugurou o seu centro cultural onde mais de 300 crianças estão inscritas nas mais diversas áreas formativas, desde piano, guitarra, percussão, dança, reciclagem e decoração, artes plásticas, ioga, canto e capoeira. Trinta mulheres, entre deficientes físicas, frequentam o curso de corte e costura , assim como informática, de forma gratuita.

error: Content is protected !!