BAD financia programa de expansão de energia em Angola

O Governo angolano conta com um financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BDA) de cerca de 500 milhões de dólares americanos, para implementação da primeira fase do Programa de Expansão e Eficiência do Sector de Energia (ESEEP-1) para a região Centro/Sul do país. O pacote financeiro para o referido programa resulta de um acordo a ser assinado em breve entre o Governo e o BAD, segundo o representante daquela instituição financeira em Angola, Joseph Ribeiro, em declarações à Angop. O anúncio do concurso público já foi publicado pela empresa Rede Nacional de Transporte (RNT) no Jornal de Angola. O programa prevê o fortalecimento dos sistemas de transmissão e distribuição de energia em Angola.

Com três componentes, a primeira comporta a construção de 343 quilómetros da linha de transmissão Centro/Sul de 400 Kilovolts, melhoria da receita através da instalação de contadores pré-pagos e a gestão do programa para concepção e implementação do projecto. O programa reforçará a capacidade operacional da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade de Angola (ENDE) e aumentará a capacidade do sistema de distribuição a nível do país. Com a execução do referido programa, mas famílias, indústrias, pequenas e médias empresas passarão a ter acesso à energia regular, fiável, menos onerosa e sustentável. Trata-se de mais de mil megawatts de energia excedentária produzida na zona Norte do país (Cuanza-Norte, Malanje e Zaire).

No anúncio de licitações, publicado pela RNT consta aquisições dos contadores inteligentes, aquisição de sistema de GIS e captura de dados do consumidor e rede de MV, incluindo transformadores de distribuição. O concurso público de âmbito internacional faz ainda menção da aquisição e implementação de uma solução de mobilidade comercial, como de clientes, leituras, inspecções de fraude e ordens técnicas de serviço, bem como de um sistema de gestão. Entre as obras, o programa prevê a expansão da rede de transmissão de energia, além de outros serviços de consultoria.

A componente dois do programa prevê melhorias da receita da ENDE, com a instalação de 860 mil contadores pré-pagos inteligentes e a normalização de serviços para consumidores existentes. Serão também instalados 400 mil contadores pré-pagos inteligentes para novos consumidores. Aquisição de um sistema GIS de base de dados do consumidor, sistema de captura de dados do consumidor e do contador para funcionalidade de gestão e prevenção de fraude de empresa e instrumentos de apoio ao sistema de pagamento remoto.

Já a componente três engloba estudos de viabilidade para a linha do Ngove-Menongue, Plano de acção de reassentamento para a linha de Menongue, gestão e fiscalização das obras. A Rede Nacional do Transporte (RNT) lembra que as aquisições no âmbito do empréstimo serão efectuadas de acordo com a Política Metodológica de aquisições para operações financeiras do Banco Africano de Desenvolvimento (BDA).

error: Content is protected !!