Recusa de namoro causa morte de filha e mãe

Uma jovem de 28 anos de idade e a sua mãe, de 52, foram mortas à catanada por aquela ter rejeitado o pedido de namoro de um jovem, também de 28 anos, no município de Caconda, província da Huíla

O jovem, que responde pelo nome de António Kapewa, pretendia ter uma relação amorosa com Maria Cassaca, de 28 anos de idade. Maria, que se encontrava grávida de cinco meses, não aceitou o pedido do seu novo pretendente, sem imaginar que tal negação viesse a custar-lhe a vida. Segundo o tio da vítima, João Lourenço, o pretendente sentiuse insatisfeito com o “não da jovem”, pelo que decidiu partir para a agressão, que terminou com a morte da mesma e da sua mãe, de 52 anos de idade.

“Ele pretendia namorar com a moça, mas a moça não queria, então entendeu agredir a moça com catana, deu-lhe vários golpes, ela não resistiu e acabou por morrer”, disse. João Lourenço explicou que a mãe da moça, Júlia Feca, saiu em defesa da filha, que estava a ser agredida por António Capewa, tendo acabado igualmente morta com golpes de catana. No mesmo dia, o autor deste crime atacou uma outra filha (de 18 anos), de Júlia Feca, causandolhe ferimentos. Esta outra filha encontra-se a receber assistência médica num posto de saúde local.

Este caso já é do domínio da Policia Nacional da província, pois, segundo o seu porta-voz, Luís Filipe Zilungo, estão em curso diligências para a detenção e responsabilização do autor. Este crime que vitimou duas mulheres no mês de Março, na província da Huíla, não é o único, pois a polícia local registou ainda a morte de Ana Bela Adelaide, de 45 anos, causada pelo marido, Luís Nambalo, de 48 anos, por questões de ciúmes. Este crime foi praticado na localidade da Ndongua, município do Quipungo, onde o cidadão de 48 anos, para além do homicídio, cometeu também o suicídio.

error: Content is protected !!