Corona vírus: A Prova dos 5

o Ministério da saúde (Minsa) anuncia às 10 horas de hoje os resultados de cinco exames de Coronavírus, Covid-19, que se encontravam, até ontem, em processamento laboratorial, como revelou, em Luanda, o secretário de Estado para Área da Saúde Pública, Franco Mufinda

O governante fez revelações à imprensa à margem de um encontro de trabalho entre ministros, governos provinciais e responsáveis de vários departamentos ministeriais que decorreu na capital do país. Mais tarde OPAÍS soube que os resultados serão apresentados em conferência da imprensa às dez horas deste Domingo. Mufinda Garantira que hoje ou amanhã teriam os resultados dos exames e iriam torná-los públicos. Por outro lado, descartou a existência de qualquer caso positivo de Covid-19 no país.

“Continuamos a dizer que Angola não tem, ainda, nenhum caso de Covid-19 positivo”, frisou ontem. Disse que os cinco fazem parte de um leque de 104 cidadãos que foram rastreados e submetidos ao teste de Covid-19 a 104 cidadãos, entre nacionais e estrangeiros, desde 26 de Fevereiro até ao dia de ontem. Desse número de suspeitos, 99 testes deram resultados negativos, restando os cinco exames que se encontram em processamento laboratorial. “Há um caso em Benguela e outro na Huíla”, frisou. Entre os cidadãos expatriados que aguardam pelos resultados dos exames sob observação está um cidadão de nacionalidade francesa que se encontra internado na Clínica Endiama.

O cidadão francês, com mais de 50 anos de idade, que trabalha numa empresa petrolífera em Angola e teria passado por Itália, está no país há mais de 14 dias, o tempo que o vírus leva para se manifestar. “Ele nem se encaixa justamente na tríade. Tem um vínculo de origem por onde passou, mas o período de incubação foge um bocado do que centro de Quarentena da Barra do cuanza preparado para receber doentes Informou ainda que existem 57 cidadãos no Centro de Quarentena do Calumbo, em Luanda, dos quais 56 são chineses e um angolano. Além deste centro, até Quinta-feira, as autoridades sanitárias contavam outro centro de quarentena, designadamente um hospital na Barra do Cuanza.

“O centro de Calumbo tem uma capacidade de internamento acima de 250 camas. De modo que a [o centro] da Barra do Cuanza há de se dedicar no seguimento de doentes, caso Angola venha a ter”, frisou. Declarou que as autoridades sanitárias estão a desconstruir o fluxo que existia, que era para quarentena, para poder passar para a gestão de casos em sentido estrito. Franco Mufinda disse que o país tem técnicos treinados par lidar com situações do género, fruto da experiencia adquirida ao lidarem com o Ébola. Estão também a formar os técnicos da rede primária de saúde, um processo que se expandirá a outras províncias.

Por outro lado, apelou à população a ganhar a cultura de fazer denúncias, alertando as autoridades sanitárias em caso de se ter cidadãos suspeitos dessa doença. O país continua sem registo de caso positivo do novo Coronavírus, enquanto a RDC, Côte d’Ivoire, Camarões, Senegal, Togo, Egipto, Tunísia, Argélia, Marrocos, Burkina Faso, Nigéria, África do Sul, Etiópia, Ghana, Gabão e Namíbia são os países africanos afectados pela pandemia.

Lunda-Sul reforça vigilância nas fronteiras terrestres e fluviais As autoridades sanitárias da Lunda-Sul reforçaram as medidas de segurança e de vigilância nas fronteiras terrestre e fluviais com a república Democrática do Congo (rDC), depois de ter sido confirmado um caso de Coronavírus neste país vizinho, revelou, ontem, Viegas António. O director do Gabinete Provincial da Saúde, Viegas António, disse, à Angop, que todas medidas de contenção do vírus estão a ser criadas, com a colocação de técnicos de saúde na fronteira do Chiluange (Muconda), aeroporto Deolinda rodrigues e de Catoca (Saurimo), atendendo o fluxo migratório que se regista nestes pontos.

Sublinhou que os profissionais estão munidos de equipamentos próprios para o rastreio do vírus, como termómetros e materiais de biossegurança, para rastrear os cidadãos nacionais e estrangeiros que entram para o território nacional ou estejam a sair. Viegas de Almeida fez saber que com esta medida de fiscalização estão garantidas as condições de segurança para a detenção de um possível acontecimento da pandemia na região. Para contrapor a situação, as autoridades da província contam ainda com o apoio de técnicos de Saúde da Sociedade Mineira do Catoca e médicos clínicos do Hospital Geral da Lunda-Sul.

error: Content is protected !!