CARTA DO LEITOR: Brincar com medidas sérias…

À direcção do jornal O PAÍS, agradeço e espero que mantenham por muito tempo o espaço em questão no vosso jornal. Aqui, os cidadãos exprimem aquilo que acompanham que acontece em Angola e no mundo… O jornalista Salu Gonçalves, um grande profissional, espero que não o interpretem mal nos bajuladores do templo, fez uma grande denúncia pública hoje, 18 de Março. Rodou nas redes sociais. É um facto. O Coronavírus é um facto no mundo. Ainda não temos registado qualquer caso.

A forma como se separou o trigo do joio no avião que aterrou hoje (ontem) no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, chateou o jornalista e outros cidadãos, ou seja, os “zéninguém”.

Segundo o vídeo, os fi lhos “daqueles” saíram primeiro do avião e os outros, os “cabolas”, ficaram mais de uma hora retidos na aeronave da companhia de bandeira angolana, sem se explicar as razões. Isto gerou descontentamento nos passageiros e obrigou que ficassem horas e horas na sala de desembarque, obrigando que a equipa multisectorial de combate à pandemia se deslocasse ao aerporto, e, acto contínuo, orientaram que todos fossem para casa e ficassem em quarentena, porque havia lá, parece, a fi lha de um “grande ministro, sabe-se quem é. Diziam os passageiros.

Onde é que reside a seriedade do Executivo liderado por João Lourenço? Uma pergunta deixo no ar: violou-se ou não uma medida da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No grupo desses passageiros, imaginemos, que alguém esteja infectado e em casa beije o pai, mãe, ou mesmo espirre, como é que fi ca? Há mesmo responsabilidade nisso? Como se diz na gíria “zezus!” Os passageiros em questão chegaram de países, cujos casos de contágio continuam a subir e aqui em Angola se ignora.

O que aconteceu no Aeroporto Internacional é um certificado de incomptência às nossas instituições, e, isto só prova que há muita jactância por parte dos dirigentes. Era visível. Não havia organização. Naquela sala, todos respiravam o mesmo ar. Viu-se que não há zona própria de desmebarque para aqueles que chegam de países com índices elevados. Angola também é demais! Assim, o Presidente vai mexer mais na caneta? Não se deve brincar com medidas sérias. Denuncie sempre Salu…

José Mukwaxi

 

error: Content is protected !!