Covid-19 condiciona actividades culturais em Luanda

Entre os eventos protelados consta a 23ª edição do “Moda Luanda”, festival “A nossa Kizomba” e os concertos da cantora congolesa Celine Banza. Apesar de no pais não se ter registado qualquer caso positivo da doença, tem-se reforçado as medidas de precaução

Os promotores de eventos culturais em Luanda estão desde Segunda-feira a adiar as actividades programadas, como forma de acatar a comunicação feita pelo Ministério da Saúde (MINSA) a 16 do presente mês, que aconselha a todas as empresas ou instituições a entrarem num período de “contenção” correspondente a 14 dias, para a verificação de eventuais sintomas de infecção do vírus Civid-19. O MINSA aconselha ainda evitar- se eventos públicos com aglomerados de mais de 200 pessoas, como medida de prevenção desta pandemia, vulgarmente chamado de Covid-19, que se regista em centenas de países. Em Luanda, os promotores de eventos acataram as orientações, tendo cancelado as actividades previstas para o mês em curso e para Abril.

Entre os eventos consta o show “Vozes de Março”, promovido pela produtora Nova Energia, o “Moda Luanda”, realizado pela Step Model’s, o festival “A nossa Kizomba”, plataforma criada pela Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA) e os concertos da cantora congolesa Celine Banza, propagado pela Alliance Françeise de Luanda e parceiros. A 23ª edição do Moda Luanda estava prevista para 27 deste mês, na Baia de Luanda, mas, devido ao Covid-19 foi adiada para 10 de Abril. Apesar da futura data confirmada, a empresária, Karina Barbosa, em conversa com OPAÍS, avançou que a sua realização dependerá ainda das informações acerca da desenvoltura da doença no país.

“Até agora, não foi registado caso nenhum, o país não está em alerta e estão a ser tomadas as medidas de precaução. Por isso, acho que devemos continuar com os nossos trabalhos, pautando pela precaução”, aferiu. A empreendedora aplaudiu a iniciativa do MINSA e apelou aos promotores de eventos para o seu cumprimento das medidas preventivas, de modo a evitar a disseminação da doença. Razão pela qual a equipa da Step Model’s está de quarentena desde ontem, tendo suspendido provisoriamente as actividades, para o despiste da pandemia. “Estamos a trabalhar em casa, via telefone e E-mails. O que está em causa é um bem maior, mas ainda assim as actividades não devem ser canceladas, porque, obviamente, as pessoas precisam de trabalhar e devemos ter isso em conta, porque muitas delas dependem do seu emprego para o sustento das suas famílias”, apelou.

Outros eventos cancelados

A produtora Nova Energia tinha previsto a realização do show “Vozes de Março” nos dias 27 e 28 deste mês, no Royal Plaza, em Talatona. O promotor de eventos Yuri Simão realçou que as actividades promovidos pela produtora acolhem mais de 500 pessoas, razão pela qual achou necessário protelar, sem data futura. “Tudo dependerá das informações divulgadas, acerca da doença no país. Estamos a viver uma pandemia, por isso, precisamos estar no mesmo sentido e seguir as orientações das autoridades, para poder conter, ou evitar com que esta doença chegue ao país. Por isso, vamos esperar um bocado, para ver como o movimento desta situação vai ocorrer”, considerou. Por sua vez, o festival “A nossa Kizomba”, que tinha sido agendado para 4 de Abril, também foi protelado. O responsável da entidade promotora do festival (SODIBA), Eufránio Júlio, disse que, apesar de no país não terem sido registados casos do género, é necessário os cidadãos previnam a pandemia, que tem afectado grandemente muitos cidadãos nos vários continentes.

A pandemia

A pandemia do COVID-19 já infectou mais de 189 mil pessoas em todo Mundo, das quais mais de 7.800 morreram. Das pessoas infectadas, mais de 81 mil recuperaram. O vírus surgiu na China, em Dezembro último, e espalhou-se rapidamente, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.

leave a reply