Executivo apela ao cumprimento obrigatório das medidas de prevenção do COVId-19

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, apelou, ontem, em Luanda, ao cumprimento obrigatório das medidas anunciadas pelo decreto Presidencial provisório nº 120 de 18 de Março, que visa prevenir a pandemia do Covid-19

A também coordenadora adjunta da comissão do Executivo responsável pela prevenção do Coronavírus falava, ontem, na Assembleia Nacional, num encontro com os deputados. A responsável reconheceu a grande fragilidade do sistema de saúde angolano, referindo que Angola, tal como outros países africanos, depara-se com grande fragilidade no seu sistema sanitário e com um elevado índice de analfabetismo e pobreza, o que impõe responsabilidades acrescidas na educação da mulher, que considera a principal provedora de assistência às famílias em África.

Consciente de como a pandemia poderá afectar os postos de trabalho e os rendimentos familiares, a ministra apelou à união de esforços para que as mulheres não sejam as mais afectadas. Considerou que os esforços que estão a ser desenvolvidos por todas as instituições do Estado a nível central e local, bem como as iniciativas de ouras instituições do Estado, são prova evidente do comprometimento nacional no combate à pandemia do Covid-19 em Angola. Salientou que neste combate deve ser dada especial atenção aos grupos de grande risco e os de grande vulnerabilidade.

“A nossa prioridade são as pessoas vulneráveis que merecem a solidariedade de todos nós, por um imperativo moral e para as quais reafirmamos a esperança de que iremos ultrapassar esta fase menos boa com o empenho e a colaboração de todos”, disse Carolina Cerqueira. Considerou ainda crucial a mudança de comportamentos individuais, tanto nos sectores públicos, privados, sociedade civil e igrejas, que embora não seja suficiente, tem um impacto determinante na contenção da propagação do vírus. Avançou que a velocidade de propagação desta pandemia a nível mundial, enormemente elevada, levou o Titular do Poder Executivo, à tomada de importantes decisões e à implementação de medidas coordenadas, integradas e decisivas para fazer face a esta difícil situação de saúde que afecta vários continentes.

error: Content is protected !!