MINSA aguarda resultado de 13 exames de Covid-19

As autoridades sanitárias do país aguardam pelos resultados de 13 amostras de viajantes de países considerados com alta circulação comunitária do vírus, revelou ontem, em Luanda, a directora Nacional Saúde Publica, Helga Freitas, em conferência de imprensa

A gestora fez saber que até à manhã de ontem foram processadas em Angola 146 amostras no laboratório de referência do país, isto é, pelo Instituto Nacional de Investigação de Saúde (INIS). Salientou que, das amostras processadas até Sábado, tiveram apenas dois casos positivos, reiterando a necessidade de se manter a quarentena de 14 dias das pessoas provenientes de países com a classificação acima mencionados. Declarou que esta é a principal medida de contenção no país neste momento, portanto, deverem fazêla com a máxima responsabilidade e disciplina.

“Devemos redobrar todas as medidas de prevenção, nomeadamente a lavagem das mãos com água e sabão com frequência, evitar aglomerados populacionais com mais de 50 pessoas, manter a distância de um metro entre as pessoas, evitar ficar em superfícies, tossir para o cotovelo”, frisou. Acrescentou de seguida: “telefonar para o 111 em caso de sintomatologia, tosse, febres, em Luanda, e os das outras províncias poderão dirigir-se as unidades sanitárias mais próximas”.

Reforçadas medidas de biossegurança “Não há casos novos de Covid 19 em Angola” garantiu a directora Nacional Saúde Publica, Helga Freitas, salientando que se mantêm os dois casos positivos de Covid 19. A responsável contou que o estado de saúde dos dois pacientes detectados com o vírus na manhã de Sábado, os dois casos registados no país, é estável e com sintomatologia leve. Ambos estão a ser assistidos na unidade de referência especializada para atendimento destes casos.

Helga Freitas fez saber que a Organização Mundial da Saúde (OMS) já foi notificada, assim como os países de precedência destes dois casos, nomeadamente Portugal, Estados Unidos e Holanda. Portanto, explicou que estão a ser investigados, isto é, prossegue a investigação epidemiológica de todos os contactos destes dois casos, assim como as pessoas que estiveram próximas de amboss, nomeadamente, os vizinhos e os contactos das pessoas da própria aeronave em que vieram esses dois passageiros.

“Os contactos próximos também se encontram em quarentena numa unidade também de nossa de referência. São contactos pelos quais nós temos alguma preocupação. Estão a ser feitos todos os rastreamentos e todos os cuidados com essas famílias dos contactos”, garantiu.

error: Content is protected !!